João de Deus: MP investiga estupro de menina em 2018

Ministério Público vai interrogar o médium na próxima semana sobre o caso e depois pretende denunciá-lo à Justiça

atualizado 21/12/2018 19:42

iStock/Foto ilustrativa

Enviadas especiais a Goiânia (GO) — O Ministério Público de Goiás (MPGO) investiga denúncia de estupro de vulnerável contra João de Deus, ocorrido em 2018. Os promotores não passaram detalhes sobre o caso para preservar a vítima — uma menina com, no máximo, 14 anos. O médium completou 77 anos em junho.

Entre os relatos de vítimas que o MP recebeu, três estão com as investigações mais adiantadas — um de estupro de vulnerável e dois de violação sexual mediante fraude, crime no qual o acusado foi indiciado nessa quinta-feira (20/12). Os promotores já receberam o inquérito da Polícia Civil e pretendem ouvir João de Deus na próxima semana. Depois, querem oferecer uma só denúncia contra o médium.

A Polícia Civil abriu nove inquéritos contra João de Deus. Um foi concluído e remetido à Justiça. Os outros estão em andamento. Entre eles, o que investiga posse ilegal de arma. Nesta sexta (21), a Justiça acatou o pedido da PCGO e decretou prisão do médium por esse motivo.

0

O Ministério Público de Goiás recebeu 23 relatos de abusos que aconteceram quando as vítimas tinham entre 9 a 14 anos vindos de vários estados do Brasil. As datas de quando os casos ocorreram não foram informadas. “Não vamos detalhar essas informações para preservar as vítimas”, disse o promotor Luciano Meireles.

Vítimas potenciais
O MPGO recebeu, até esta sexta-feira (21), 596 contatos a respeito das investigações sobre João de Deus. As autoras de 255 narrativas são consideradas pelo órgão “vítimas potenciais”. Deste número, 76 relatos são considerados formais. Entre os relatos recebidos pelos promotores, 39 são de moradoras do DF.

O promotor Luciano Meireles explicou que, desses 255 casos, 112 já estão prescritos. No entanto, ressaltou a importância do registro das vítimas. “É imprescindível que essas vítimas sejam ouvidas porque seus relatos servirão como provas”, afirmou.

Perdeu virgindade
Um dos casos prescritos é de uma mulher de 41 anos que contou, em depoimento na Delegacia de Investigações Criminais de Goiás (Deic), que João de Deus tirou sua virgindade durante um estupro cometido quando ela tinha 14.

De acordo com a delegada Karla Fernandes Guimarães, foi aberto um inquérito para investigar o caso. As revelações da mulher foram registradas pela Polícia Civil em 17 de dezembro, um dia após o médium se entregar. João de Deus foi preso no domingo (16), após passar 48 horas escondido em uma chácara nos arredores de Goiânia.

Nesta sexta (21), policiais fizeram novas buscas em endereços ligados ao médium em Abadiânia. Foram apreendidos uma mala de dinheiro, pedras preciosas que parecem ser esmeraldas e remédios fabricados por João de Deus na Casa Dom Inácio de Loyola, no município goiano. O laboratório onde são feitas as chamadas “cápsulas energizadas” acabou fechado pela Vigilância Sanitária.

Mais lidas
Últimas notícias