Já? Filha de ex-prefeito paranaense exibe frasco da Coronavac no TikTok

Juliana Rangel, filha do ex-prefeito de Ponta Grossa Marcelo Rangel, mostrou imunizante que o pai diz ter ganhado do Instituto Butantan

atualizado 12/01/2021 19:12

Reprodução/TikTok

Sob o pretexto de mostrar algo que ela tinha e mais ninguém, Juliana Rangel, filha do ex-prefeito da cidade paranaense de Ponta Grossa Marcelo Rangel (PSDB), mostrou na rede social TikTok um frasco com as inscrições Coronavac e Instituto Butantan (imagem em destaque). Como legenda, ela escreveu “vacina do Covid”.

Nas imagens, ela mostra a embalagem enquanto é possível ouvir uma gravação com as falas “mostre algo que você tem, que mais ninguém tenha, e que você ache muito legal”.

Uma vez que realmente ninguém tem, já que a vacina contra o coronavírus ainda não foi aprovada pela Anvisa para uso no Brasil, a postagem viralizou, conforme registrado pelo G1, e obrigou o pai da jovem a se explicar.

Marcelo Rangel, cujo mandato terminou em dezembro último, disse que recebeu o frasco em visita ao Instituto Butantan no ano passado como uma forma de publicidade para a vacina, sem explicar se o conteúdo é imunizante mesmo ou apenas um líquido ilustrativo.

Rangel afirmou que a filha, de 19 anos, não se pronunciará sobre o fato.

Em dezembro, o então prefeito mostrou o mesmo frasco em visita ao Butantan. Veja:

Marcelo Rangel (PSDB)

A reportagem procurou o Instituto Butantan para questionar o que há dentro do frasco que o então prefeito levou para casa e foi informada pelo órgão que não é vacina ativa, apenas uma embalagem ilustrativa.

Na última sexta-feira (8/1), o Butantan formalizou na Anvisa o pedido para o uso emergencial do imunizante. O órgão regulador, no entanto, solicitou ao instituto informações complementares.

Se liberada, a vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac deve entrar no programa brasileiro de vacinação – que segue sem data para começar.

O Instituto Butantan divulgou nesta terça-feira (12/1) que a eficiência global da Coronavac é de 50,38%. Na semana passada, o órgão, ligado ao governo de São Paulo, havia anunciado – após quatro adiantamentos – que a eficácia da vacina contra a Covid-19 é de 78% em casos leves e de 100% nos graves.
0

Últimas notícias