Itamaraty extingue mais de 200 cargos em embaixadas brasileiras

Governo brasileiro fechou duas embaixadas e iniciou o mesmo processo em outras três. Diplomatas e oficiais de chancelaria estão entre os postos extintos

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 04/06/2019 21:32

O quadro de servidores do Ministério das Relações Exteriores (MRE) está sendo revisto. O Palácio do Itamaraty – sob o comando do chanceler brasileiro, Ernesto Araújo – extinguiu ao todo 216 vagas em todos os continentes. Apesar do volume de fechamento de postos, a diplomacia brasileira diz que essa é uma “prática rotineira”.

Houve redução no exterior de 84 vagas de diplomatas e de 54 de oficial e assistente de chancelaria. O processo inclui alterações nas lotações de 78 postos, em todos os continentes. Uma portaria publicada em maio direciona a atualização.

“O novo quadro busca reequilibrar também a proporção de servidores no exterior e em Brasília, com vistas a melhor refletir o quadro numérico de servidores em exercício e recompor o déficit de lotação na Secretaria de Estado”, destaca o Itamaraty, em nota.

Com a diminuição de servidores, as embaixadas na Dominica (Roseau) e Antígua e Barbuda (Saint John’s) foram fechadas. Outras três iniciaram o processo para descontinuar seus trabalhos. “A atualização do quadro de vagas no exterior é prática rotineira e visa adequar a rede de postos às necessidades da política externa e à realidade de recursos humanos do Ministério”, conclui o texto.

Apesar da redução, o Itamaraty descarta qualquer prejuízo nas relações com países dos quais a diplomacia brasileira se retirou. “As embaixadas e consulados brasileiros continuarão a dispor dos meios necessários para o perfeito desempenho de todas as suas atribuições”, frisa a nota.

Desde que assumiu o governo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) indicou 18 nomes para embaixadas e outras representações diplomáticas, segundo o Senado. Contudo, o Parlamento só chancelou três: Pedro Fernando Brêtas Bastos (missão na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), Henrique da Silveira Sardinha Pinto (embaixada no Vaticano) e Hélio Vitor Ramos Filho (embaixada em Roma).

Aguardam a sabatina no Congresso os indicados para as embaixadas de Paris, Nova York, Cairo, Atenas, Lisboa e Budapeste, entre outras.

Veja as embaixadas que estão em processo de fechamento:

  • Granada (Saint George)
  • São Cristóvão e Nevis (Basseterre)
  • São Vicente e Granadinas (Kingstown)

Veja as embaixadas que já foram fechadas:

  • Dominica (Roseau)
  • Antígua e Barbuda (Saint John’s)

Últimas notícias