Irmã de mulher suspeita de participar de 10 homicídios foi morta por facção

Alicia Mariana Duarte era companheira de Eduardo Gomes, assassinado durante uma represália da facção criminosa do ex da irmã

atualizado 22/12/2020 14:52

Valesca TeixeiraArquivo Pessoal

A irmã de Valesca Teixeira dos Santos, presa por participar de pelo menos 10 homicídios em Itaitinga, na região metropolitana de Fortaleza, foi morta enquanto passeava em uma motocicleta, em 24 de outubro. Alicia Mariana Oliveira Duarte, 16, era companheira de Eduardo Gomes, 22, morto também durante uma represália da facção criminosa do ex-companheiro de Valesca.

Conforme levantado nas investigações, em suas redes sociais, Valesca postava mensagens e fotos com ameaças aos integrantes do grupo rival. O irmão de Eduardo, Lucas do Carmo Gomes, 20, passou a cometer homicídios em Itaitinga, como uma forma de se vingar pela morte do parente.

Entenda

Os 10 homicídios ocorridos em Itaitinga têm como motivação a desavença entre Valesca e o ex-companheiro, identificado como José Flávio de Sousa, 44, o “Zé Flávio”, que já responde a 10 procedimentos policiais por homicídios, tráfico de drogas, ameaça, crimes contra a administração pública, dano, porte ilegal de arma de fogo e por integrar organização criminosa. Ele é apontado como chefe de um grupo criminoso que atua em Itaitinga.

Após o fim do casamento, a mulher passou a se relacionar com um suspeito de integrar um grupo criminoso rival ao do ex-companheiro. Por causa disso, o grupo, no qual “Zé Flávio” é líder, passou a matar pessoas ligadas à Valesca. Já a mulher passou a repassar informações privilegiadas para o grupo rival referente à localização de comparsas do ex.

Investigações

As investigações que culminaram na prisão de Valesca tiveram início após um triplo homicídio ocorrido no dia 7 de junho, em Itaitinga, quando três pessoas foram mortas em um bar.

Em represália, o grupo criminoso teria revidado, matando Eduardo do Carmo Gomes, cunhado de Valesca. A Polícia Civil chegou à informação que Eduardo teria apontado a localização das três vítimas do “Bar do Lázaro” aos criminosos, agindo sob ordem de Valesca.

O corpo de Eduardo foi encontrado enterrado em uma pedreira na cidade de Itaitinga, no dia 5 de julho. Ele estava desaparecido desde o dia 13 de junho.

O irmão de Eduardo, Lucas, e dois comparsas, André Alexandre Soares, 37 anos, e Abdeel da Silva Batista, 18, foram presos pela Polícia Militar do Ceará (PMCE) no dia 17 de setembro. Na ocasião, os homens estavam em posse de um fuzil calibre 556 e vestindo coletes balísticos. Eles foram capturados após efetuarem disparos em via pública, também em Itaitinga.

Últimas notícias