Homem que decapitou vizinho ria enquanto o atacava, dizem testemunhas

Segundo relatos, Cipriano da Silva soltava gargalhadas enquanto arrancava a cabeça do vizinho em favela de São Paulo

atualizado 06/07/2020 16:22

Reprodução

Luciano de Andrade, de 43 anos, morador da Favela da Linha, em São Paulo, morreu na última sexta-feira (03/07) ao fazer o trajeto diário rumo a uma padaria perto de sua casa. Sem motivo aparente, ele foi atacado em uma viela da comunidade pelo vizinho Cipriano da Silva, de 20 anos, com quem mal tinha contato. 

A cena chamou atenção dos moradores da região, que tentaram socorrer a vítima. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, testemunhas afirmam que o agressor soltava gargalhadas enquanto esfaqueava o desempregado. Enquanto Luciano gritava pedindo para que parasse o esfaqueamento, moradores jogaram vasos de vidro e pedaços de madeira para tentar controlar a ação. Porém, em meio ao ataque, Silva exigiu silêncio do vizinho, enfiou uma faca na jugular dele e o decapitou.

Na noite anterior, o criminoso teria tentado agredir uma mulher, mas ela conseguiu escapar do assassino. Por isso, investigadores acreditam que o ataque contra a vítima foi aleatório. Após a decapitação, Silva colocou a cabeça em um saco preto de lixo e arrastou o corpo pela viela, finalizando o ataque com chutes.

Neste momento, policiais militares chegaram ao local e também foram agredidos pela vítima, segundo testemunhas, quando o primeiro disparo foi feito contra o criminoso. Um vídeo gravado por um morador da favela mostra Silva caído no chão depois de baleado, em que ele se levanta, retira a cabeça de Luciano do saco, coloca-a debaixo do braço e segue andando normalmente.

Outra imagem mostra o momento em que os agentes socorreram o agressor ferido, com a cabeça jogada a dois metros dos policiais.

Ainda de acordo com o jornal, eles disseram que foram hostilizados pela comunidade e, por isso, optaram por ajudar o criminoso. O caso está sendo investigado pelo Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa. Uma das hipóteses é que Silva atacou Luciano em um possível surto psicótico.

Últimas notícias