Homem morre ao ser levado à força para clínica de reabilitação

Paciente tinha 30 anos. Polícia apura se houve força excessiva de funcionários da clínica; os acusados dizem que a família o medicou

atualizado 17/06/2021 18:58

Paulo César Basso pode ter morrido ao ser levado à força para clínica de recuperação de dependentesReprodução/Facebook

São Paulo – Paulo César Basso, de 30 anos, morreu durante uma extração (ação em que os profissionais buscam um dependente químico para tratamento, a pedido de algum parente), em Guapiaçu, no interior de São Paulo.

A morte ocorreu na sexta-feira (7/5), quando profissionais de uma clínica de recuperação de Votuporanga (SP) tentaram levar o paciente, que resistiu.

Segundo a investigação da polícia, três funcionários teriam aplicado força excessiva em um “mata-leão” no homem. Os investigados também teriam amarrado os pés e as mãos do paciente, que foi levado desmaiado até Votuporanga. A equipe da clínica notou que Paulo não estava bem e o levou até a Santa Casa da cidade, onde ele chegou morto.

Em depoimento à Polícia Civil, os funcionários disseram que Paulo estava muito alterado e que não concordava com a internação. Eles alegam que o paciente foi medicado por um familiar, e que foram eles próprios que o levaram diretamente para a Santa Casa.

Basso já foi internado anteriormente. Nas outras ocasiões, porém, ele foi por conta própria, após intermediação do pai.

Últimas notícias