*
 

Em entrevista coletiva à imprensa, realizada na noite desta quarta-feira (11/4) em Curitiba, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, fez questão de reafirmar o compromisso do Partido dos Trabalhadores (PT) com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em relação à sua candidatura para as eleições presidenciais deste ano.

“O PT só aposta em Lula, não há outra discussão. Isso não é uma visita protocolar, a decisão está tomada. Dia 15 de agosto, a legenda vai registrar a candidatura do ex-presidente, não há debate”, reiterou.

O político também disse ter “expectativa de que o STF [Supremo Tribunal Federal] restabeleça a Constituição no Brasil”. A Corte deve voltar a discutir, na próxima semana, jurisprudência que autoriza a execução de pena após condenação em segunda instância, conforme ocorreu com Lula. Se a medida for revista, o ex-presidente será diretamente beneficiado.

Fernando Haddad também afirmou que a vigília da militância em prol da liberação de Lula, a menos de 200m da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula está detido desde sábado (7), não tem data para acabar.

“Vamos manter a militância aqui. A imprensa internacional está registrando apoio a Lula no mundo todo. Nossa confiança é no processo. O processo vai avançar, com esclarecimento da população”, declarou. “Os tribunais superiores vão poder se manifestar ainda uma e outras vezes em função dos recursos que a legislação prevê”, concluiu Haddad.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi preso na noite de sábado (7), após determinação do juiz federal Sérgio Moro. O petista está condenado a 12 anos e 1 mês de prisão, após julgamento no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). É acusado dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso triplex, do Guarujá (SP). A defesa do político já impetrou todos os recursos possíveis para possibilitar sua liberação: todos foram negados até aqui, faltando ainda a análise, pelo TRF-4, dos embargos aos embargos de declaração já rejeitados naquela Corte.

STF
Nesta noite, em Brasília, senadores petistas participaram de ato em frente ao Superior Tribunal Federal para defender a liberdade de Lula. A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, participou da manifestação, que contou com a presença de outros representantes da sigla: Lindbergh Farias, Humberto Costa, Jorge Viana, Fátima Bezerra, Paulo Rocha e Regina Sousa. Segundo a política, está prevista a criação de um acampamento de vigília por Lula Livre na capital brasiliense.