GSI orienta servidores sobre “preservar evidências” de ataque hacker

Órgão comandado pelo general Augusto Heleno é responsável pela segurança institucional e se posiciona 3 dias após o ataque

atualizado 13/12/2021 21:29

General Augusto Heleno durante Demonstração operativa dos fuzileiros navais da operação Formosa durante agenda do presidente bolsonaro 3 Igo Estrela/Metrópoles

O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República divulgou nota oficial na noite desta segunda-feira (13/12) para prestar contas sobre a atuação do governo para lidar com as consequências do suposto ataque de hackers que tirou do ar os dados sobre a vacinação de milhões de brasileiros contra a Covid-19 na última sexta (10/12). Três dias após a ocorrência, o órgão comandado pelo ministro Augusto Heleno afirmou que “o governo está atuando de forma coordenada para retomada dos serviços”.

Nesse domingo (12/12), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, havia dito que espera restabelecer as funcionalidades da plataforma ConecteSUS, que registra os cartões de vacinação, até estaa terça-feira (14/12). Nesta segunda-feira (13/12), o titular da Saúde afirmou  que este prazo já não será cumprido.

“No dia 10 de dezembro do corrente ano, ocorreram incidentes cibernéticos contra órgãos de Governo em ambiente de nuvem”, diz a nota do GSI. “Os provedores dos serviços em nuvem estão cooperando com a administração pública federal no tratamento dos incidentes. O governo está atuando de forma coordenada para retomada dos serviços, que estão sendo reativados à medida em que o tratamento ocorre”, complementa o documento.

Sem dar detalhes, o GSI também informou que as equipes de servidores trabalhando na normalização dos serviços públicos “estão sendo orientadas sobre os procedimentos de preservação de evidências”.

Veja a íntegra da nota do GSI:

nota gsi sobre ataque hacker

Mais lidas
Últimas notícias