Grupo invade prédio contra novo presidente da Fundação Palmares

"Negro de direita é escravo" e "Palmares não é casa grande" estão entre os cartazes que criticam Sérgio Camargo como gestor do órgão

ReproduçãoReprodução

atualizado 29/11/2019 12:03

Contra a posse do novo presidente da Fundação Cultural Palmares, órgão de promoção da cultura afro-brasileira – o jornalista Sérgio Nascimento de Camargo –, representantes de movimentos negros do país invadiram o prédio da entidade na manhã desta sexta-feira (29/11/2019), em Brasília.

Carregando cartazes e pedindo a expulsão de Camargo com os dizeres “negro de direita é escravo” e “Palmares não é casa grande”, o grupo entrou na sede da instituição e ocupou o sétimo andar do prédio, onde fica o gabinete do gestor.

Os cerca de 30 manifestantes quase foram contidos pelos seguranças do local, mas conseguiram ultrapassar o bloqueio. Nas redes sociais, a deputada federal Erika Kokay (PT-DF) divulgou um vídeo do protesto.

Veja:

“Alguém que nega a escravidão, nega a consciência negra, nega Zumbi e nega o racismo no Brasil, não pode presidir a Fundação Palmares!”, escreveu a parlamentar na legenda.

Entenda
Em uma publicação antes de ser nomeado para o cargo, Camargo classificou o racismo no Brasil como “nutella”. “Racismo real existe nos Estados Unidos. A negrada daqui reclama porque é imbecil e desinformada pela esquerda”, escreveu.

Ele ainda disse que o Dia da Consciência Negra “precisa ser abolido nacionalmente por decreto presidencial”. Para o jornalista, a data “causa incalculáveis perdas à economia do país, em nome de um falso herói dos negros (Zumbi dos Palmares, que escravizava negros) e de uma agenda política que alimenta o revanchismo histórico e doutrina o negro no vitimismo”.

Últimas notícias