Governo ganha 29 ações na Justiça contra bloqueio de caminhoneiros

Ao todo, governo federal entrou com 35 ações judiciais para impedir o movimento. Categoria realiza atos em todo o país nesta segunda (1°/11)

atualizado 31/10/2021 19:53

Bloqueio de caminhoneiros em Goiás, na GO-020Vinícius Schmidt/Metrópoles

O Ministério da Infraestrutura informou, no início da noite deste domingo (31/10), que obteve 29 liminares na Justiça contra o bloqueio de rodovias federais previsto para acontecer nesta segunda-feira (1º/11) pelos caminhoneiros. As ações contemplam 20 estados.

As liminares garantem o acesso às principais rodovias do país, tendo como objetivo central, segundo o ministério, a garantia do pleno funcionamento logístico. No total, a União entrou com 35 processos na Justiça.

“Os interditos representam elemento de reforço para que as forças de segurança trabalhem na manutenção da ordem, uma vez que o Estado deve garantir a livre circulação de pessoas, serviços e mercadorias essenciais para o país”, declarou a pasta, em nota à imprensa.

Até o momento, estão contemplados os estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Paraná, Pará, Bahia, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Rondônia, Alagoas, Paraíba, Piauí, Maranhão, Tocantins, Goiás e Amazonas.

0

“As forças de segurança estão a postos para manter a ordem e a fluidez em todo o país”, afirmou o ministério.

A situação será monitorada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio do Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN).

Motivos da insatisfação

Os caminhoneiros estão insatisfeitos com a política de preços da Petrobras e a crescente alta do diesel, que acumula aumento de 65,3% no valor do litro neste ano.

Os profissionais também querem a volta da aposentadoria especial – concedida depois de 25 anos de contribuições previdenciárias – e o cumprimento da chamada tabela de frete, que é alvo de ações na Justiça por empresas.

Mais lidas
Últimas notícias