Governadores cobram liberação de recursos para segurança pública

Políticos exigem linha de crédito de R$ 42 bilhões, anunciada em março deste ano, para investir no setor

Michael Melo/Metrópoles

atualizado 18/05/2018 23:42

Governadores de sete estados divulgaram nesta sexta-feira (18/5) uma carta aberta onde cobram a liberação de R$ 42 bilhões para a segurança pública, entre outras demandas. O documento foi assinado pelos chefes dos Executivos da Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte. O documento foi divulgado após o 9º Encontro dos Governadores do Nordeste, realizado em Recife (PE).

Os políticos cobram a liberação da linha de crédito de R$ 42 bilhões anunciada em março deste ano. “Seguimos aguardando, ainda, a definição dos critérios da linha de financiamento da ordem de R$ 42 bilhões, prometida no dia 9 de março, em reunião ocorrida no Palácio do Planalto, sem que nenhum dos estados da Federação tenha logrado êxito no acesso a esses recursos, mesmo já transcorridos mais de 60 dias desde seu anúncio”, diz um trecho da carta.

Na reunião ocorrida em março, o governo anunciou a linha de crédito para os estados investirem na área de segurança pública. Na ocasião, ficou determinado que os recursos estarão disponíveis ao longo de cinco anos. Do montante total, R$ 33,6 bilhões são do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os recursos fazem parte do Programa Nacional de Segurança Pública, voltado à redução dos índices de criminalidade no país.

A assessoria do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, informou que a estimativa do governo é disponibilizar os valores até o fim de maio. Segundo a assessoria, contratos de gestão serão firmados com os estados, estabelecendo contrapartidas aos repasses feitos, como redução dos índices de criminalidade, capacitação de agentes de segurança e melhoria de condições de trabalho dos policiais, entre outros.

 

Últimas notícias