GO: Aparecida cresce 700% na geração de empregos em 2021, diz Caged

Setor de serviços foi o que mais criou novas oportunidade ao longo do ano, conforme informações divulgadas pelo Caged para o município

atualizado 03/02/2022 20:01

Carteira de trabalho Rafaela Felicciano/Metrópoles

Goiânia – Dados consolidados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, apontam que Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital goiana, encerrou 2021 com saldo positivo na geração de empregos.

Foram criadas, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), 65.194 novas oportunidades contra 60.086 demissões, prevalecendo saldo positivo de 5.108. Em comparação ao ano anterior, quando o saldo positivo foi de 636, o crescimento chegou a 703%.

No acumulado geral, 105.072 pessoas estão trabalhando com carteira assinada em Aparecida. Um aumento de 5,11% de 2020 para 2021.

Segundo a Secretaria Municipal de Trabalho, em 2021, os setores da economia que se destacaram na geração de empregos formais foram os de serviços, comércio e indústria.

Novas oportunidades

O setor de serviços, por exemplo, foi o que mais gerou novas oportunidades em Aparecida. Entre janeiro e dezembro de 2021, foram criados 2.229 novos postos. O secretário municipal do Trabalho, Jeferson Ferreira, avalia que, aos poucos, o comportamento social está voltando à normalidade e, consequentemente, isso interfere na economia da cidade de forma positiva.

“Com o avanço da vacinação, o setor de serviços registrou um aquecimento em relação ao ano de 2020. Muitos comércios, como salões de beleza, restaurantes e bares, voltaram a funcionar normalmente e precisaram contratar profissionais”, lembra Jeferson.

Ainda de acordo com o secretário, a colaboração da população e dos comerciantes, aliada às iniciativas da Prefeitura de Aparecida de Goiânia, por meio do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, foi fundamental e evitou o desemprego de muitos trabalhadores.

“As ações da gestão municipal garantiram a empregabilidade da nossa população nesse período difícil. Evitamos demissões em massa quando implantamos o escalonamento das atividades comerciais em vez de fecharmos todo o comércio, e muitas atividades, como construção civil e indústria, não pararam em nenhum momento”, reforça Jeferson Ferreira.

Outro setor da economia que se destacou na geração de empregos, em 2021, foi o comércio. Segundo o Caged, entre janeiro e dezembro, o saldo ficou em 2 mil vagas.

Mais lidas
Últimas notícias