metropoles.com

Gabriel Monteiro filmou “de forma consciente” sexo com menor, diz MP

Vereador foi denunciado pelo Ministério Público por filmar relação sexual com uma adolescente de 15 anos; vídeo vazou nas redes sociais

atualizado

Compartilhar notícia

Aline Massuca/Metrópoles
Gabriel Monteiro
1 de 1 Gabriel Monteiro - Foto: Aline Massuca/Metrópoles

Rio de Janeiro – Denunciado na última sexta-feira (8/4) pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), o vereador Gabriel Monteiro usou o próprio telefone celular  “de forma livre e consciente” para filmar a adolescente durante cena de sexo explícito.

De acordo com a denúncia do promotor Marcos Kac, o crime ocorreu cerca de cinco meses após o primeiro encontro do vereador com a estudante de 15 anos.

0

 

 

Segundo o jornal Extra, o próprio vereador, em depoimento à 42ª DP, Recreio, admitiu que fez a gravação. Entretanto, Monteiro afirmou que as imagens foram roubadas de seu celular.

De acordo com o Artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a pena para quem “produzir, divulgar ou publicar” cenas de sexo explícito envolvendo criança ou adolescente vai de dois a seis anos de reclusão, além de multa.

Inquérito

A denúncia da 28ª Vara Criminal da Capital, por meio do promotor da 1ª Promotoria de Investigação Penal (PIP), também pediu que a Polícia instaure inquérito para apurar a prática do crime de divulgação do vídeo envolvendo a adolescente.

“Há outros fatos sendo investigados. Filmar menor de 18 anos é crime, e ele afirmou que gravou a menor”, disse o delegado Luís Mauricio Armond Campos, titular da 42ª DP, Recreio.

A vítima conheceu Gabriel em uma academia do Condomínio Mansões, na Barra da Tijuca, onde o vereador mora, segundo o documento. De acordo com o MP, os dois trocaram mensagens e, em determinado momento, o vereador convidou a adolescente para ir à casa dele.

Na semana passada, os vereadores que integram a Comissão de Justiça e Redação da Câmara do Rio aceitaram a representação contra Gabriel Monteiro. Nesta terça-feira (12/4), o Conselho de Ética da Casa se reúne para sortear o relator que vai ser o responsável pelo caso.

O relator sorteado vai poder chamar testemunhas, recolher novas provas e ouvir o Monteiro. No final do processo, ele poderá pedir ou não a cassação do vereador.

O Metrópoles tenta contato com a defesa do vereador, mas até a publicação dessa reportagem não obteve retorno. O espaço segue aberto.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações