Festival perde captação via Lei Rouanet após postagem contra fascismo

Governo negou incentivo ao evento alegando que "finalidade maior de toda música não deveria ser nenhum outro além da glória de Deus"

atualizado 12/07/2021 19:25

Reprodução

Organizadores do Festival de Jazz do Capão utilizaram suas redes sociais, nesta segunda-feira (12/7), para relatar que não conseguiram captação de recursos através da Lei Rouanet depois de postarem que são a favor da democracia e contrários ao fascismo, em sua página no Facebook, em junho de 2020.

O governo federal deu parecer desfavorável ao festival, que está em sua nona edição, com justificativas como: “O objetivo e finalidade maior de toda música não deveria ser nenhum outro além da glória de Deus e a renovação da alma”, frase atribuída a Johann Sebastian Bach.

O parecer apresenta citações, versos em latim e frases como “a Arte é tão singular que pode ser associada ao Criador”. A conclusão é que o projeto traria “desvio de objeto, risco à malversação do recurso público incentivado com propositura de indevido uso do mesmo”.

O relato dos organizadores afirma que a postagem feita no ano passado “não foi financiada por recursos públicos e tampouco fez parte de nenhuma divulgação oficial das atividades do festival” e foi colocada como principal motivo para receber parecer desfavorável.

O texto também declara que o festival não atacou ninguém, mas “diz em sua descrição que não podemos aceitar o fascismo, o racismo e nenhuma forma de opressão e preconceito”.

Na nova postagem, o festival informou que torna o ocorrido público para “nos mantermos coerentes com os princípios democráticos e garantirmos a nossa liberdade de expressão”.

Nas imagens do parecer divulgadas pela página, a conclusão garante que o festival estaria “desconfigurado e sem acepção” ao atributo de Projeto Cultural.

Veja a publicação:

Veja a íntegra do parecer do governo:

ParecerTecnicoROUANET-JazzCapao-julho2021 by Carlos Estênio Brasilino on Scribd

Mais lidas
Últimas notícias