*
 

Os dois homens suspeitos de agredirem o administrador de empresas Carlos Alberto Battoni, 56, na quinta-feira (5/4), em frente ao Instituto Lula, foram identificados pela Polícia Civil de São Paulo. Um deles é o ex-vereador Maninho do PT, candidato derrotado à prefeitura de Diadema (SP) pelo partido. O outro, de acordo com a corporação paulista, é Leandro Marinho, filho de Maninho. As informações são da Folha de São Paulo.

Carlos Alberto teve traumatismo craniano após ser golpeado, bater a cabeça em um caminhão e cair. Ele foi operado e permanece internado no Hospital São Camilo do Ipiranga. O homem fazia parte de um pequeno grupo de pessoas que se manifestava a favor da prisão de Lula na noite de quinta. Segundo relatos, ele gritou palavrões quando o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e Márcio Macedo, um dos vice-presidentes do partido, entraram no Instituto.

Briga generalizada
Nesta sexta (6/4), a iminente prisão de Luiz Inácio Lula da Silva elevou os ânimos da militância petista que se concentra nos arredores do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP). No início da noite desta sexta-feira (6/4), dois grupos de petistas — um do Rio e outro de São Paulo — se agrediram numa rua paralela ao prédio da entidade.

Simpatizantes do ex-chefe do Executivo nacional urinavam na calçada e foram repreendidos por paulistas. Após uma áspera discussão, os militantes começaram a se agredir. A briga só foi interrompida após a turma do deixa-disso intervir. Apesar de ter ocorrido próximo à uma viatura da Polícia Militar, os PMs não interromperam.

A confusão generalizada deixou um homem ferido na cabeça. Embora com intenso sangramento, ele se recusou a ser levado para o hospital.

 

 

COMENTE

agressãoInstituto LulaTraumatismo craniano
comunicar erro à redação

Leia mais: Brasil