metropoles.com

Em terras indígenas, garimpeiro posta no YouTube a rotina do garimpo

Embates com indígenas, ações policiais e rotina de trabalho são divulgadas por garimpeiro ilegal no YouTube

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução
PF investiga garimpo ilegal
1 de 1 PF investiga garimpo ilegal - Foto: Reprodução

Vídeos divulgados no canal “Fabio garimpo Junior” mostram o dia a dia dos garimpos ilegais localizados dentro das terras indígenas yanomamis, em Roraima. No YouTube, o garimpeiro divulga cenas em que mostra como é feita a extração ilegal do ouro e as máquinas utilizadas dentro dos territórios.

Em um dos vídeos, o narrador se mostra indignado com a ação dos agentes de fiscalização que queimaram um dos seus veículos que era utilizado para o transporte de ouro. “É assim mesmo. A gente tá aí pra ajeitar, é isso que a gente ganha dos caras”, diz o homem, não identificado, ao encontrar sua caminhonete incendiada.

As informações são da BBC Brasil.

Confira o relato:

O canal no YouTube, com 427 inscritos, divulgou 120 vídeos ao longo dos últimos três anos, mostrando o avanço do garimpo ilegal dentro das terras indígenas.

De acordo com a Hutukara Associação Yanomami, principal porta-voz da etnia, o garimpo ilegal cresceu 46% em 2021, em comparação ao acumulado do ano anterior, com a estimativa de 20 mil pontos de garimpo ilegal.

Os garimpeiros, sem medo de mostrar o rosto, se manifestam contra a presença dos órgãos de fiscalização e contra a área delimitada para os povos indígenas, alegando que eles “não trabalham” e por isso “não merecem” o território.

Nos vídeos, é possível perceber a presença de maquinário pesado utilizado para a exploração de ouro na região, além de helicópteros, aviões e caminhonetes usados para dar apoio aos garimpeiros ilegais.

Nas imagens divulgadas, o canal mostra áreas invadidas pelos garimpeiros ilegais próximos aos rios Catrimani e Uraricoera, em Roraima.

Garimpo no governo Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), estimula desde o início do seu governo o garimpo em terras indígenas. Em fevereiro deste ano, foram assinadas duas medidas protetivas para fomentar o “garimpo artesanal”, em que o governo defende que a atividade de exploração ajuda no desenvolvimento sustentável da região amazônica.

O diretor da Hutukara Associação Yanomami, Maurício Ye’kwana, relatou ao Metrópoles que os garimpos ilegais tornam o local de vivência dos indígenas uma terra sem lei.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações