*
 

Um áudio obtido com exclusividade pelo Fantástico, da TV Globo, mostra detalhes de uma das versões apresentadas pelo servente de pedreiro Júlio César Lima Ergesse, de 24 anos, um dos principais suspeitos da morte da Menina Vitória Gabrielly.

Segundo ele, a jovem estava “desesperada” e “em choque” após ser capturada em Araçariguama (SP), em 8 de junho, depois de ter saído de casa para andar de patins. Vitória foi encontrada morta oito dias depois (ouça áudio completo aqui). “Ela falou ‘o que que está acontecendo? Me ajuda’. Ela estava em choque, senhor, desesperada, entendeu?”, disse Ergesse para um policial civil.

Em uma das versões apresentadas, o servente afirmou que estava andando na rua em Mairinque (SP), onde mora, quando encontrou o casal — preso temporariamente por 30 dias e também indiciado por homicídio doloso — Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges de Abrantes, que estavam em um carro preto e foram para Araçariguama.

Logo depois, Mayara teria obrigado a menina a entrar no carro. “Fica tranquila, não vai acontecer nada com você”, teria dito a mulher. Ainda no áudio, Júlio disse que ficou no caminho e não sabe o que aconteceu depois.

Para os investigadores, no entanto, o envolvimento dele no crime pode ser ainda maior. Um laudo divulgado na última sexta-feira (29/6) aponta DNA da menina nas unhas de Júlio.