TSE manda Instagram apagar publicação de Eduardo Bolsonaro contra Ciro

Segundo o juiz do TSE responsável pela decisão, o conteúdo traz "grave descontextualização e desinformação"

atualizado 20/08/2022 17:04

Igo Estrela/Metrópoles

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou nessa sexta-feira (19/8) que o Instagram delete o vídeo publicado nesta semana pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PL-RJ) com trechos de uma palestra de 2017 do candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT).

O ministro também deu dois dias para que Eduardo Bolsonaro se manifeste. Depois, o caso vai ao Ministério Público Eleitoral.

O caso chegou ao TSE após o PDT entrar com uma representação contra Eduardo Bolsonaro. Segundo a sigla, o parlamentar distorceu trechos da fala de Ciro para dar a entender que ele teria pregado desarmonia entre as religiões.

Para o ministro do TSE Raul Araújo, os recortes são manipulados com o objetivo de prejudicar a imagem do candidato, emprestando o sentido de que ele seria contrário à fé católica e odioso aos cristãos”.

“O representado, ardilosamente, usou técnicas de montagem para pinçar trechos que descontextualizam o teor
desse discurso e de outros discursos outrora proferidos pelo candidato do PDT, a fim de estorvar-lhe a imagem”, diz a decisão.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
Publicidade do parceiro Metrópoles 8
Publicidade do parceiro Metrópoles 9
Publicidade do parceiro Metrópoles 10
0

Presidente, governador e senador: veja quem são os candidatos nas Eleições 2022

O magistrado argumentou que o conteúdo “compreende grave descontextualização e desinformação”. “É plausível a tese de que o vídeo editado divulga fato sabidamente inverídico em que o conteúdo da publicação acabe por gerar desinformação”.

Veja a decisão na íntegra:

TSE-Ciro-Eduardo Bolsonaro by Júlia Portela on Scribd

A reportagem buscou a assessoria de Eduardo Bolsonaro para um posicionamento, mas até a publicação não recebeu retorno.

Mais lidas
Últimas notícias