Bolsonaro sobre eleitores de Ciro: “Ninguém é dono do voto de ninguém”

Presidente disse ter certeza de que eleitores do pedetista vão “tomar a melhor decisão”. Bolsonaro disputará segundo turno com Lula

atualizado 05/10/2022 13:25

Band

O presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), fez sinalizações, nesta quarta-feira (5/10), em direção a eleitores de Ciro Gomes (PDT), que ficou fora do segundo turno. Na terça-feira (4/10), Ciro gravou um vídeo no qual demonstrou apoio a Luiz Inácio Lula da Silva (PT), sem citar o nome do ex-presidente.

Questionado sobre a possibilidade de herdar votos de Ciro, Bolsonaro respondeu: “Ninguém é dono do voto de ninguém. O eleitor pode votar numa pessoa no primeiro turno e no segundo mudar o voto. O voto não é mercadoria”.

Bolsonaro ainda afirmou que o eleitorado do pedetista é “bastante qualificado”. “Eu peço ao eleitor do Ciro, como é um eleitor bastante qualificado, dadas as posições que ele tomou ao longo da vida toda. Não é que eu peça: eu tenho certeza que eles vão tomar a melhor decisão para o segundo turno”, completou.

Ciro concorreu à sua quarta eleição presidencial em 2022 e encerrou a disputa em quarto lugar, com 3,6 milhões de votos (3,04% dos votos válidos).

Sobre o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública e senador eleito Sergio Moro (União-PR), Bolsonaro reforçou que os problemas entre eles estão sanados. “Conversei com ele [na terça-feira]. Sobre encontro, não falamos”, afirmou.

Bolsonaro ainda alegou que faltou a Moro “um pouco mais de vivência política” quando trabalhou no governo. “Fui bem claro, passado é passado”, disse. “Olha o Pai Nosso, o Pai Nosso fala em perdão. Essa é a oração universal dos cristãos. Eu sei que é difícil o perdão em muitos momentos. O esquecimento é impossível, mas o perdão que nos leva à vida eterna.”

O mandatário disse ainda que convidou o deputado eleito Deltan Dallagnol (Podemos-PR) para uma conversa na próxima sexta-feira (5/10). Já na terça, Bolsonaro voltou a elogiar a atuação dos ex-procuradores da Lava Jato e a saudar os serviços prestados por eles ao combate à corrupção.

Mais lidas
Últimas notícias