Eleições 2020: nível de abstenção fica em 23,14%, informa presidente do TSE

Ministro Luís Roberto Barroso comemorou índice. Expectativa era de abstenção elevada em decorrência da pandemia do novo coronavírus

atualizado 16/11/2020 10:02

Ministro Luis Roberto BarrosoIgo Estrela/Metrópoles

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, informou na noite deste domingo (15/11) que 23,14% do eleitorado brasileiro se absteve das eleições municipais deste ano.

“Como está em 99,9% [das urnas apuradas], pode ter algum grau de variação — 23,14% pode ter pequena variação, mas certamente vai ficar em menos de 23,5%. Extraordinário porque nas últimas eleições foi mais de 20% e nesta eleição, 23%, em meio a uma pandemia. Mais um fator que precisamos comemorar”, afirmou.

O presidente do tribunal ainda agradeceu o comparecimento do eleitorado brasileiro às urnas, apesar das circunstâncias impostas pela pandemia, que já fez mais de 165 mil vítimas no país.

Nas eleições municipais de 2016, a abstenção no primeiro turno foi de 17,58%. Em 2012, foi de 16,41%. Nas eleições presidenciais de 2018, a abstenção no primeiro turno ficou em 20,33%.

De acordo o TSE, os números totais são:

  • Votos brancos: 3.903.129
  • Votos nulos: 7.032.920
Candidatos e eleitores

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o número de candidatos, entre prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, nestas eleições é recorde: 557.394, dos quais 96,65% foram declarados aptos.

No total, são 518,3 mil candidatos a vereador e 19,3 mil candidatos a prefeito. Mais de 24 mil concorrem à reeleição.

O número de eleitores aptos a ir às urnas neste domingo também foi o maior na história do país. Segundo o TSE, 147.625.767 pessoas estavam aptas para votar.

Pandemia e locais sem votação

Previstas para serem realizadas em outubro, as eleições deste ano foram adiadas para novembro em razão da pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Pela mudança, o primeiro turno foi marcado para este domingo (15/11), e o segundo, em caso de necessidade, para 29 de novembro.

Também por conta da pandemia, o Tribunal Superior Eleitoral ampliou em uma hora a votação deste domingo: das 7h às 17h, sendo o período entre as 7h e as 10h preferencial para eleitores com mais de 60 anos.

Além disso, alguns locais não realizaram eleições. É o caso do Distrito Federal e do arquipélago de Fernando de Noronha. Não há prefeitura ou câmara municipal nos locais.

Em Macapá, capital do estado do Amapá, também não houve votação neste domingo. O pleito na capital foi adiado em decorrência de um apagão provocado por um incêndio em uma subestação na Zona Norte do estado.

O adiamento foi determinado pelo TSE, após um pedido do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá. As novas datas para a realização do pleito na capital ainda serão definidas. O prazo limite é 27 de dezembro.

Últimas notícias