Onyx Lorenzoni diz que Ibope em Porto Alegre é “caso de polícia”

Ministro de Bolsonaro alegou que instituto tentou influenciar eleitores ao estimar Manuela D'Ávila eleita em Porto Alegre

atualizado 29/11/2020 19:45

OnyxIgo Estrela/Metrópoles

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), afirmou que a pesquisa do instituto Ibope sobre o segundo turno das eleições em Porto Alegre (RS), divulgada nesse sábado (28/11), é “caso de polícia”.

O instituto estimou que a candidata de esquerda Manuela D’Ávila (PCdoB) teria 51% dos votos válidos, ante 49% de Sebastião Melo (MDB), hoje deputado estadual, na disputa para a prefeitura da capital gaúcha.

A pesquisa foi realizada entre os dias 27 e 28 de novembro, com 805 porto-alegrenses. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança usado é de 95%.

No entanto, o resultado das urnas caminhou para o outro lado: Manuela D’Ávila obteve 45,3% dos votos válidos e Sebastião Melo, 54,6%, sendo eleito prefeito.

O “erro” no levantamento do instituto de pesquisa, segundo Onyx, contudo, deve ser investigado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Polícia Federal (PF).

0

“Desde 2018, esses fatos se repetem sem investigação”, completou, em sintonia com apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, que têm questionado a credibilidade de institutos de pesquisas e até mesmo das urnas.

Procurado, o Ibope informou que não vai ser pronunciar.

Últimas notícias