PSB vai com Haddad no 2º turno, mas libera DF e SP de formalizar apoio

Comando do partido se reuniu para debater posicionamento na disputa presidencial em segundo turno

Michael Melo/Metrópoles

atualizado 09/10/2018 19:41

O PSB decidiu apoiar oficialmente o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, na disputa em segundo turno. Entretanto, durante a reunião na tarde desta terça-feira em Brasília, a executiva nacional do partido autorizou os diretórios de São Paulo e do Distrito Federal a tomarem a decisão política mais estratégica, inclusive a de eventualmente apoiar o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

“Decide apoiar a candidatura à Presidência da República do candidato FERNANDO HADDAD, agora não mais representante de um partido ou coligação, mas das forças democráticas de nosso país, condição na qual o apoiamos”, aponta a resolução aprovada na reunião.

Márcio França (SP) e Rodrigo Rollemberg (DF), que tentam a reeleição onde a maior parte do eleitorado local votou em Bolsonaro, também podem optar pela posição neutra em relação à disputa presidencial.

O apoio a Haddad foi um desejo do presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira, apresentado ao comando do partido durante a reunião desta terça-feira. Ele disse confiar que os dois governadores atuarão de acordo com os princípios defendidos historicamente pelo PSB.

“O PSB acaba de aprovar uma resolução em que define o seu apoio do segundo turno ao candidato Fernando Haddad, propondo que se forme uma frente democrática contra uma candidatura que representa o extremo oposto”, disse. “Ao mesmo tempo [a resolução] ressalta em um dos parágrafos da resolução de São Paulo e do Distrito Federal que os diretores desses estados vão poder analisar as coligações e decidir o que deve ser feito”, acrescentou.

A liberação dos diretórios regionais decorre de pedido do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg. A intenção é evitar conflitos locais no esforço da busca por apoios na disputa de 28 de outubro.

O documento debatido pela executiva nacional também continha a possibilidade de veto expresso a apoios à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL). Essa definição seria em razão de resolução do partido, acertada em congresso nacional, a partir da qual é proibido apoio a candidatos que estejam em campo político oposto ao do partido, considerado mais progressista. Houve quem defendesse durante a reunião que esse ponto não poderia ser modificado.

Confira a íntegra da resolução aprovada pelo PSB:

RESOLUÇÃO CEN Nº 003/2018

A Comissão Executiva Nacional – CEN, reunida nesta data, em Brasília, estabelece orientações aos seus filiados, parlamentares e membros de executivas municipais e estaduais, no tocante ao apoio que o PSB dará ao candidato à Presidência da República no segundo turno das eleições Presidenciais de 2018.

Art. 1º – A Comissão Executiva Nacional do Partido Socialista Brasileiro – PSB, reunida nesta data, na sua sede nacional em Brasília, Distrito Federal, no uso de suas atribuições e,                                 

Considerando o resultado do primeiro turno da eleição da qual restaram duas candidaturas de partidos antagônicos;

  1. Considerando também a trajetória e o compromisso histórico do PSB, desde a fundação, em 1945, com a radicalização da democracia e a redução da desigualdade social em nosso país;
  1. Considerando que, nada obstante às diferenças políticas entre o PSB e o Partido do representante das forças democráticas, no segundo turno, constatamos que há, sem dúvidas, mais afinidades que divergências;
  1. Considerando ainda ser obrigação do PSB para com o nosso país apresentar ao candidato que irá apoiar a sua pauta programática que, obviamente, diz respeito ao projeto nacional de desenvolvimento do Brasil e tem por objetivo uma revolução civilizatória para o nosso país, que pode ser sintetizada nas seguintes palavras: desenvolvimento, inovação tecnológica estratégica e diminuição das desigualdades sociais;
  1. Considerando que, nos Estados de São Paulo, Sergipe e no Distrito Federal, estados que o PSB disputa o segundo turno, os diretórios estaduais decidirão posição que deverão tomar frente à sucessão presidencial, considerando as alianças locais;
  1. Considerando todos os aspectos supramencionados e as propostas que serão apresentadas ao candidato à Presidência da República, constantes de ANEXO ÚNICO desta Resolução, SOB O PRESSUPOSTO da necessidade da formação de uma frente democrática ampla, composta por todos os democratas, nacionalistas; lideranças e instituições engajadas com um projeto de desenvolvimento soberano e inclusivo; instituições partidárias do campo democrático, prevendo-se inclusive a incorporação a seu programa de governo de elementos programáticos propostos pelos componentes da frente aqui referida.

DECIDE:

Apoiar a candidatura à Presidência da República do candidato FERNANDO HADDAD, agora não mais representante de um partido ou coligação, mas das forças democráticas de nosso país, condição na qual o apoiamos.

Brasília-DF, 9 de outubro de 2018.

CARLOS SIQUEIRA

Presidente Nacional do Partido Socialista Brasileiro-PSB

 

Últimas notícias