MPF pede que Weintraub suspenda início das inscrições no Sisu

Procuradoria dos Direitos do Cidadão enviou ofício ao ministro da Educação afirmando que erros podem "prejudicar milhares de estudantes"

Ascom/PRR1Ascom/PRR1

atualizado 20/01/2020 22:05

O Ministério Público Federal (MPF) pediu, nesta segunda-feira (20/01/2020), que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, suspenda a abertura das inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), prevista para terça-feira (21/01/2020). O ofício, assinado pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), foi apresentado pouco antes de Weintraub anunciar que manteria a data.

Para a Procuradoria, a suspensão se faz necessária até que sejam sanadas as falhas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. “Inconsistências na correção podem prejudicar milhares de estudantes que participarão do Sisu”, afirma o MPF.

Embora o MEC não tenha alterado a data de abertura das inscrições, a data de encerramento foi adiada de sexta-feira (24/01/2020) para domingo (26/01/2020).

O MPF também pediu que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do Enem, informe em até 24 horas o que gerou os erros na correção.

Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira na sede do Inep em Brasília (DF), o presidente do órgão, Alexandre Lopes, afirmou que os gabaritos de todos os 3,9 milhões de estudantes que fizeram a prova foram revisados e que o problema se deu por inconsistência na cor do caderno de perguntas e de respostas dos alunos.

O Inep anunciou, ainda, que os erros atingiram 0,15% das provas do ano passado, num total de 5,9 mil casos: 80% das notas foram aumentadas, e as demais diminuíram ou permaneceram iguais.

Últimas notícias