A Petrobras anunciou corte de 1,38% no preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias, válido a partir da próxima quarta-feira (9/1). Dessa forma, o preço será de R$ 1,4337. Além disso, a estatal petrolífera manteve o preço do diesel, em R$ 1,8545, conforme tabela disponível no site da empresa.

O fato de a estatal reduzir o preço nas refinarias não necessariamente quer dizer que o preço ao consumidor seja menor. A redução nos custos, porém, costuma gerar a expectativa de queda nos preços finais.

Brasília
Na última segunda-feira (7/1), o brasiliense pagava, em média, R$ 3,799 por litro do combustível. O valor foi encontrado no Posto da Torre, no início da Asa Sul, apenas para pagamentos em dinheiro.

Em outros postos da Asa Norte, Asa Sul, Guará, Águas Claras e Taguatinga, o produto era vendido pelo valor entre R$ 3,889 e R$ 3,988, para pagamentos em dinheiro ou com cartão de débito.

Na semana passada, o Metrópoles mostrou que, além da redução, os estabelecimentos estão vendendo gasolina em seis parcelas, sem juros, no cartão. Foi o caso do posto da Shell na 109 Norte. Leandro Martins, gerente de pista da empresa, explicou que o parcelamento é uma medida implementada para favorecer clientes com dificuldade para bancar o preço total.

Nesta segunda, a Petrobras decidiu manter o preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias em R$ 1,4537, o menor patamar desde meados de fevereiro de 2018. A redução no preço acompanha a queda do dólar, um dos indicadores que refletem o valor do produto, além do preço do barril do petróleo.

“Além da queda nas refinarias, o consumidor também está mais atento e pesquisando, o que acirra a competitividade”, explicou Gilmar Gomes, gerente de uma rede de postos.