Tabela de frete: governo, caminhoneiros e transportadores terão acordo

Impasse sobre a suspensão de resolução da ANTT, que estabelecia o piso mínimo para o transporte rodoviário de cargas, está perto do fim

Alberto Ruy/MInfraAlberto Ruy/MInfra

atualizado 24/07/2019 23:11

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, reuniu-se nesta terça (23/07/2019) e quarta-feira (24/07/2019  com representantes dos transportadores rodoviários de cargas, caminhoneiros autônomos e embarcadores. O objetivo foi ouvir as reivindicações do setor e buscar consenso sobre a Resolução nº 5.849/2019, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que estabeleceu as regras gerais, a metodologia e os coeficientes para cálculo do frete de cargas no país.

Foi estabelecido que um acordo definirá o valor estabelecido para o frete a partir da tabela desenvolvida pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) e será assinado entre as três partes. Para isso, 30 representantes do setor participarão de reuniões, na próxima semana, para determinar o percentual para cada uma das 11 categorias de carga. A expectativa do Ministério é que o acordo seja assinado até o final da próxima semana.

“A grande vantagem é que o acordo gera o engajamento de todas as partes. A partir desse momento, estabeleceremos um patamar de valor que efetivamente vai ser praticado”, afirmou o ministro. “Desse modo, a gente começa a criar uma cultura de negociação e de solução de mercado para uma remuneração justa. Estou extremamente otimista e satisfeito com os resultados obtidos hoje”, concluiu.

Os encontros e a resolução do tema corroboram uma política de fortalecimento do diálogo estabelecido pelo Ministério da Infraestrutura com as entidades representativas.

Diálogo aberto
“O governo Bolsonaro vem mantendo o diálogo aberto, escutando todos os envolvidos nessa problemática e entendendo que há pleitos justos e possíveis. É por isso que temos conseguido estabelecer um consenso”, destacou Freitas.

Últimas notícias