Por nuvem de gafanhotos, governo federal declara emergência fitossanitária

Medida permite a implementação do plano de supressão da praga e adoção de medidas emergenciais

atualizado 25/06/2020 9:56

Nuvem de gafanhotosGoverno de Córdoba/Divulgação

O Ministério da Agricultura declarou estado de emergência fitossanitária por causa da nuvem de gafanhotos que se aproximada do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

A portaria, assinada pela ministra Tereza Cristina (DEM), foi publicada na manhã desta quinta-feira (25/06) no Diário Oficial da União (DOU). Veja aqui a íntegra do texto.

Fitossanitário é um adjetivo que se refere às medidas sanitárias adotadas na defesa dos vegetais. O prazo de vigência da emergência tem duração de um ano, diz a portaria.

Não é certo que a nuvem de gafanhotos chegue ao Brasil, uma vez que a praga se encontra na direção do Uruguai e está hoje a quase 150 quilômetros da fronteira do Rio Grande do Sul com a Argentina.

O deslocamento da nuvem de gafanhotos, da espécie schistocerca cancellata, pode ser acompanhado por meio de mapas atualizados pelas autoridades argentinas (confira aqui).

0

No entanto, a preocupação das autoridades do setor agropecuário e de produtores rurais é o dano que os insetos possam causar às lavouras e pastagens, se houver infestação.

Em nota divulgada nessa quarta-feira (24/06), o Ministério da Agricultura informou que, apesar de pouco provável que a nuvem avance em território brasileiro, a pasta está em situação de alerta.

“Com base neste cenário, estão sendo trabalhadas estratégias passíveis de adoção para um eventual surto da praga no Brasil, caso ocorram alterações climáticas favoráveis ao deslocamento da nuvem de gafanhotos para o nosso país”, completou.

Últimas notícias