PIB brasileiro avança 1,1% em 2018; resultado é igual ao ano anterior

Crescimento da economia brasileira no quarto trimestre do ano passado frustrou economistas e avançou 0,1%, segundo dados do IBGE

atualizado 28/02/2019 12:39

Marcos Santos/USP Imagens

A economia brasileira cresceu 1,1% no ano de 2018, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No quarto trimestre, o produto interno bruto (PIB) avançou 0,1% em comparação ao terceiro trimestre do ano passado, oitavo crescimento trimestral consecutivo do PIB. Segundo economistas, a atividade econômica no país não ganhou tração e teve um desempenho igual ao de 2017, quando avançou 1,1%.

Especialistas citam que efeitos pontuais, como as eleições e a greve dos caminhoneiros, prejudicaram o crescimento no ano. Avaliam também que a limitada recuperação do mercado de trabalho impediu que a atividade econômica ganhasse força.

Em relação a 2018, economistas ressaltam ainda a diferença entre a expectativa de crescimento no início do ano, quando a pesquisa Focus, que reúne previsões do mercado financeiro para a economia, chegou estimar um avanço de 2,92% e o crescimento de 1,1% divulgado nesta quinta-feira (28/2).

O resultado anual ficou no piso das expectativas coletadas por 48 instituições consultadas pelo Projeções Broadcast. As casas previam um crescimento que variava de 1,1% a 1,35%, com mediana de 1,20%.

No quarto trimestre de 2018, ainda que alguma desaceleração do PIB fosse esperada depois de um terceiro trimestre atípico, com a reversão dos efeitos da greve dos caminhoneiros e da liberação do PIS/Pasep, o desempenho efetivo da atividade no fim do ano ficou aquém do previsto pelos economistas, principalmente diante do avanço dos indicadores de confiança. Essa fraqueza do quarto trimestre acende um alerta para o ritmo de crescimento no começo de 2019, segundo economistas.

O avanço de 0,1% no último trimestre do ano ficou dentro das estimativas coletadas pelo Projeções Broadcast, que previam um recuo de 0,20% a um avanço de 0,36%, com mediana positiva de 0,1%.

Últimas notícias