*
 

A Petrobras informou nesta quinta-feira (7/12) que vai revisar a metodologia de reajuste de seus preços do gás de cozinha, após disparada nas cotações do produto, que subiu quase 70% para os distribuidores desde o início de junho.

A empresa afirmou que o Grupo Executivo de Mercado de Preços (GEMP) da empresa concluiu que, embora os preços do GLP praticados no Brasil devam ser referenciados ao mercado internacional, essa metodologia necessita ser revista.

“O fundamento para isso é que o mercado de referência (butano e propano na Europa) está apresentando alta volatilidade nos preços, agravada pela sazonalidade (inverno) naquela região. Dessa forma, a correção aplicada esta semana foi a última realizada com base na regra vigente”, declarou a empresa em nota.

A Petrobras não detalhou como ficará a metodologia.

A companhia anunciou na última segunda-feira (4/12) um aumento de 8,9% no preço do gás de cozinha, impulsionando para cerca de 68% a alta acumulada desde o início de junho, quando a estatal anunciou uma política de preços do produto com reajustes mais frequentes.