*
 

Após avançar 0,15% em abril deste ano (dado já revisado), a economia brasileira registrou recuo no mês seguinte. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) — criado para tentar antecipar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), que é divulgado pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) — de maio teve baixa de 0,51%, com ajuste sazonal. Os foram divulgados nesta sexta-feira (14/7) pelo Banco Central.

O índice de atividade calculado pelo BC passou de 134,46 pontos para 133,77 pontos na série dessazonalizada de abril para maio. Este é o menor patamar para o IBC-Br com ajuste desde janeiro (133,08 pontos). Além disso, o resultado do índice é o primeiro já com potencial influência da crise política, deflagrada em meados de maio.

No acumulado de 2017 até maio, o recuo é de 0,05% pela série sem ajustes sazonais. Também pela série observada, é possível identificar um recuo de 2,23% nos 12 meses encerrados em maio.

Na comparação entre os meses de maio de 2017 e maio de 2016, houve alta de 1,4% também na série sem ajustes sazonais. A série observada encerrou com o IBC-Br em 134,97 pontos em maio, ante 132,95 pontos de abril deste ano e 133,1 pontos de maio do ano passado.

O patamar de 134,97 pontos, no entanto, é o melhor para meses de maio, desde 2015 (140 pontos).

Prévia
Conhecido como “prévia do BC para o PIB”, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. A previsão oficial do BC para a atividade doméstica em 2017 é de avanço de 0,5%, de acordo com o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) publicado em junho.

No Relatório de Mercado Focus publicado na segunda-feira (10), a mediana das estimativas do mercado para o Produto Interno Bruto (PIB) este ano está em 0,34%.

 

 

COMENTE

pibretraçãoprévia do PIB
comunicar erro à redação

Leia mais: Economia