Manual da Black Friday: dicas e cuidados para aproveitar a data

Apesar desta ser a 10ª edição, a data é marcada por dúvidas dos clientes. Golpistas aproveitam a data para enganar compradores

atualizado 29/11/2019 7:30

GETTYIMAGES

Aguardada ano a ano pelo varejo, a Black Friday enfim chegou. Nesta sexta-feira (29/11/2019), várias lojas do país oferecem descontos recordes para os clientes.

Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelam que o brasileiro deve gastar em média R$ 1.132. 

Segundo a pesquisa, 9 a cada 10 brasileiros vão aproveitar a Black Friday deste ano. Os consumidores devem comprar cerca de três produtos.

Apesar desta ser a 10ª edição, a data é marcada por dúvidas dos clientes. Além do mais, golpistas aproveitam a oportunidade para enganar os compradores.

Para isso, o Metrópoles conversou com especialistas, entre advogados e economistas, e elaborou um pequeno manual para você conhecer melhor a data e te ajudar a não cair em enrascadas nesta data.

A seguir, veja curiosidades, dicas de compras e informações sobre como se proteger.  

O que é a Black Friday?
Na tradução, significa “Sexta-feira Negra”. A Black Friday acontece sempre na última sexta de novembro (neste caso, hoje!). O objetivo é aumentar a saída dos produtos e renovar os estoques para as comemorações de fim de ano.

Quem participa?
Não há regra para participar. As lojas podem ser físicas ou online. No site da Black Friday, contudo, há uma lista de lojas participantes (acesse aqui).

Quais as expectativas do mercado?
Considerando os que realizaram compras no ano passado, 35% esperam adquirir mais produtos neste ano, segundo o SPC. Outros 23% planejam comprar menos e 20% a mesma quantidade.

Já o site da Black Friday prevê mais um recorde em vendas, com um crescimento de 21% em relação ao ano passado. O que pode gerar faturamento de até R$ 3,1 bilhões de reais.

“A previsão é que esse ano a Black Friday cresça novamente. 2012 foi o primeiro ano de grande adesão e, até 2015, praticamente dobrou de tamanho ano a ano em termo de faturamento. Agora a nossa previsão é que cresça 21%”, destaca Ricardo Bove, idealizador da Black Friday no Brasil.

Veja 10 dicas para não cair em fraudes:

  1. Pesquise os preços antes;
  2. Analise as condições de pagamento;
  3. Evite sites com preços muito abaixo do mercado e que não sejam marcas reconhecidas;
  4. Compare os preços com outros estabelecimentos;
  5. Exija nota fiscal em suas compras;
  6. Evite pagamento em boletos, já que não são mais difíceis de serem ressarcidos em caso de fraudes;
  7. Cuidado com seus dados;
  8. Veja se o valor do frete não é exorbitante;
  9. Verifique o produto quando chegar;
  10. Não compre por impulso.

Caiu na fraude?
Como qualquer dia, o consumidor tem o direito de devolução do produto. Não precisa necessariamente apresentar um problema ou defeito, basta querer. Isso serve até o 7º dia a partir do recebimento.

Se precisar fazer denúncias de oferta enganosa ou outro tipo de problema, o consumidor pode usar canais de atendimento do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon).

O Código de Defesa do Consumidor garante a sua proteção. Em casos de abuso, denuncie ao Procon pelo número 151.

Veja 10 ótimas promoções:

Fontes: Black Friday; Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); SPC Brasil; Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor; e Procon. 

Últimas notícias