Jorge Paulo Lemann perde o posto de homem mais rico do Brasil

Em primeiro lugar agora está o banqueiro Joseph Safra, que tirou o posto de Lemann e ainda aumentou em quase R$ 6 bi a sua fortuna em 2018

ReproduçãoReprodução

atualizado 01/03/2019 11:54

O ano de 2018 foi ruim para Jorge Paulo Lemann, dono, entre outras empresas, da Ambev, que produz as cervejas Skol, Brahma, entre outros rótulos. Ele viu a sua fortuna cair ao menos US$ 4,4 bilhões, o equivalente a aproximadamente R$ 20 bilhões. Com isso, sua riqueza caiu para US$ 23 bilhões – quase R$ 100 bilhões.

Com essa queda, ele não conseguiu se manter na posição de homem mais rico do país. Isso porque Joseph Safra, proprietário do Banco Safra, bateu a marca de US$ 25,1 bilhões, revela o ranking produzido pela revista norte-americana Forbes.

Lemann abriu o ano de 2018 como o 29º homem mais rico do mundo e Safra aparecia na 36ª posição. Agora, Safra está no 31º lugar e Lemann no 37º.

Ao longo do ano de 2018, Safra viu os seus bens aumentarem em pouco mais de US$ 1,5 bilhão, perto de R$ 6 bilhões.

Ranking global
O homem mais rico do mundo, atualmente, é o proprietário da Amazon, Jeff Bezos. Sua fortuna é estimada em US$ 135 bilhões, mais que R$ 500 bilhões. Na sequência aparece o dono da Microsoft, Bill Gates, com US 97,9 bilhões, quase R$ 400 bilhões. Eles são seguidos pelo também norte-americano Warren Buffet, que possui US$ 83 bilhões (quase R$ 350 bilhões).

Entre os 10 mais ricos do mundo, apenas três não são norte-americanos. Trata-se do quarto lugar, o francês Bernard Arnault (US$ 82,4 bilhões), que é dono da Louis Vitton; em sexto, o espanhol Amancio Ortega (US$ 68,6 bilhões), dono da Zara e o sétimo, o mexicano Carlos Slim Helu (US$ 61,1 bilhões).

O Brasil tem apenas duas pessoas entre as 100 mais ricas do mundo. Na terceira posição entre os brasileiros está o empresário e sócio de Lemann, Marcel Telles, com US$ 9,9 bilhões (R$ 40 bilhões) na distante 142ª posição.