Copom mantém taxa Selic em 6,5% ao ano

Os juros estão no estado atual desde março de 2018, quando o Copom encerrou ciclo de cortes iniciado em 2016 e colocou a Selic em sua mínima

atualizado 19/06/2019 18:20

Beto Nociti/BCB

O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, nesta quarta-feira (19/06/2019), por unanimidade, manter a taxa básica de juros, a Selic, em 6,50% ao ano.

A manutenção confirma a expectativa do mercado financeiro, conforme levantamento do Projeções Broadcast, ligada ao Estadão. De um total de 56 instituições consultadas, todas esperavam a manutenção da Selic no nível atual.

A próxima reunião do Copom está marcada para os dias 30 e 31 de julho de 2019.

Os juros estão no patamar atual desde março de 2018, quando o Copom encerrou o ciclo de cortes iniciado em 2016 e colocou a Selic em sua mínima histórica.

Questionamentos
Ex-diretores do Banco Central(BC) se dividiram sobre quando a instituição deve começar a cortar a taxa de juros básica da economia (Selic). Enquanto uma ala defendeu uma redução imediata — ou ao menos uma sinalização mais firme sobre o começo desse movimento —, uma outra parte avalia que o BC deve manter a estratégia adotada até agora e esperar uma definição sobre a reforma da Previdência para rever a política monetária.

Os que defenderam ao menos um aceno no comunicado dão ênfase à avaliação da modelagem que considera a longa permanência da taxa de desemprego elevada e a ociosidade da economia, indicando boas chances de a inflação seguir rodando abaixo do centro da meta neste e no próximo ano. Do outro lado, há o argumento de que o cenário, antes da aprovação da reforma da Previdência, ainda é arriscado e seria apropriado o Copom aguardar mais.

“Sem dúvida alguma, quando olhamos dados de hoje, vamos estar com a inflação tanto neste ano quanto no próximo bastante abaixo das metas e em um contexto no qual a economia não cresce”, diz Luiz Fernando Figueiredo, sócio-fundador da Mauá Capital. Para ele, pelo modelo que se tem hoje, está na hora de reduzir os juros. A projeção para a inflação oficial deste ano é de 3,7%.

Últimas notícias