Campos Neto aponta juros mais baixos e a longo prazo em 2020

Para presidente do Banco Central, o ambiente de confiança no mercado permite a estratégia para gerar "ciclos de riqueza"

Marcelo Camargo/Agência Brasil

atualizado 09/01/2020 11:11

O presidente do Banco Central, Roberto de Oliveira Campos Neto, ao fazer uma avaliação da agenda prevista para o ano de 2020, disse que o objetivo da instituição é trabalhar com juros mais longos e mais baixos. Esse será um fator a ser perseguido pela autoridade monetária como forma de promover “ciclos geradores de riqueza”.

“Eu diria que esse é o ciclo da invenção do mercado, com substituição do crédito público pelo privado, com juros mais longos e menos custo de crédito”, disse Campos Neto em entrevista coletiva sobre a Agenda BC.

“Grande parte da agenda e do que precisamos fazer e conseguimos fazer se deve a um juro mais baixo na parte longa. A queda do juro longo foi bem maior”, ressaltou.

Para ele, há um ambiente de confiança na economia, o que permite essa estratégia. “O que permitiu o comportamento da curva longa de juros nos últimos tempos foi a percepção de que o governo havia embarcado em um período de seriedade fiscal”, afirmou.

Ao falar sobre o combate à inflação, Campos Neto informou que a estratégia da instituição é ancorada no médio e longo prazo.

O presidente do BC ainda destacou que grande parte do crescimento mundial atual depende do avanço asiático e elogiou as taxas negativas de juros nas economias mais desenvolvidas.

Últimas notícias