Caixa reduz juros de financiamento imobiliário para 7,5%

O banco lidera com empréstimos para compra da casa própria

DANIEL TEIXEIRA/AEDANIEL TEIXEIRA/AE

atualizado 08/10/2019 11:40

A Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou, nesta terça-feira (08/10/2019), nova redução da taxa de juros para financiamentos imobiliários. Com isso, o valor mínimo para imóveis residenciais será de Taxa Referencial (TR) + 7,5% ao ano e o máximo de TR + 9,5%. As regras começam a valer a partir do dia 14 de outubro.

A redução de até 1 ponto percentual se aplica para créditos com saldo devedor atualizado pela Taxa Referencial nos Sistemas Financeiro de Habitação (SFH) e Financeiro Imobiliário (SFI).

O presidente da CEF, Pedro Guimarães, afirmou que, caso o Banco Central reduza mais ainda a taxa de juros, a Caixa vai acompanhar a redução. “Esse movimento da TR veio agora e nós reagiremos a quaisquer outros de redução da taxa de juros do Banco Central”, informou.

De acordo com o presidente, a nova redução foi realizada para ser compatível com a diminuição consistente de juros feito pelo Banco Central. O primeiro foco foi no IPCA, que é o índice oficial da inflação. A medida foi definida como uma “redução explícita”, o que difere da anterior, corrigida por meio do IPCA, que foi “implícita”.

O IPCA tem mais volatilidade em relação ao aumento da inflação, de acordo com Pedro Guimarães. Por outro lado, a tabela que alterou o TR tem um prazo maior. “Pelo IPCA, as prestações começam bem menores, mas têm um risco maior”, exemplificou. Isso porque a taxa é mais sensível caso haja um aumento da inflação no país.

O banco lançou no site da Caixa um simulador, que, ao ser acessado, o cliente poderá comparar os juros e as condições para obtenção do financiamento.

Na lista das instituições financeiras em geral, divulgada pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), a Caixa lidera com empréstimos de R$ 10 bilhões, até agosto, em crédito para compra da casa própria, com 48.654 unidades.

Em 13 de setembro, o presidente do banco, Pedro Guimarães, afirmou que a CEF havia liberado R$ 200 milhões em crédito imobiliário com correção pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) — que mede a inflação.

A nova redução anunciada pela CEF nesta terça-feira (08/10/2019), no entanto, não atinge a outra modalidade. Nessa situação, as taxas de juros oferecidas pelo banco podem variar de 2,95% + IPCA a 4,95% + IPCA.

Últimas notícias