Bolsonaro repete Guedes e diz que Brasil deve crescer “em torno de 5%”

Presidente também afirmou que houve um exagero por parte da Economia na reforma tributária, mas assunto está sendo acertado

atualizado 20/07/2021 10:37

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta terça-feira (20/7) que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil crescerá cerca de 5% neste ano, mesmo diante da pandemia da Covid-19, que retraiu a economia.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, havia feito a mesma previsão há alguns dias, em audiência na Comissão de Fiscalização Financeira da Câmara dos Deputados.

“Já estamos com uma boa retomada econômica. O Brasil deve crescer em torno de 5% no corrente ano. Quem diria, não é?”, afirmou Bolsonaro nesta manhã em entrevista à rádio Itatiaia. Em seguida, o chefe do Executivo afirmou que até setembro a primeira dose da vacina contra a Covid-19 estará disponível para todos os brasileiros e até novembro todos estarão vacinados.

Bolsonaro ainda disse que a transferência de tecnologia vai permitir a produção do ingrediente farmacêutico ativo (IFA) em território nacional e baratear o custo dos imunizantes.

“Já estamos na iminência de começar a produzir o IFA aqui no próprio Brasil, lá na Fiocruz. Isso aí vai facilitar o trabalho da gente e vai fazer com que a gente tenha vacinas em maior quantidade. Até porque talvez a gente tenha que se vacinar de ano em ano, de dois em dois anos. Com essa transferência de tecnologia da AstraZeneca para cá, nós vamos fabricar vacina com preço lá embaixo”, pontuou.

Reformas

O presidente também afirmou que houve um exagero por parte da Economia na reforma tributária, mas disse que o assunto está sendo acertado junto ao relator da proposta na Câmara.

“Houve um exagero por parte da economia na reforma tributária. Já está sendo acertado com o relator”, disse. “Realmente, a receita, no meu entender, como é muito foram com muita sede ao pote. E eu falei: mesmo sendo projeto meu, se passar no Congresso e chegar para mim aumentando a carga tributária, eu veto. Não tenho problema nenhum em vetar o que saiu, nasceu de mim.”

Bolsonaro ainda afirmou que a orientação é não aumentar a carga tributária. “O que nós não podemos fazer é aumentar a carga tributária no Brasil. Paulo Guedes sabe do assunto, obviamente, ele é o nosso Posto Ipiranga, também trabalha para que no final das contas não se aumente a carga tributária no Brasil.”

Questionado se será possível aprovar as reformas administrativa e tributária ainda neste ano, o presidente disse acreditar que sim.

0

Últimas notícias