Balança comercial registra superávit recorde de US$ 10,349 bilhões

No ano, as exportações totalizam US$ 82,13 bilhões e as importações, US$ 63,873 bilhões, com saldo positivo de US$ 18,257 bilhões

atualizado 03/05/2021 17:14

Michael Melo/Metrópoles

A balança comercial brasileira registrou, em abril, superávit de US$ 10,349 bilhões, com corrente de comércio de US$ 42,612 bilhões.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (3/5), pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. É o maior superávit mensal desde o início da série histórica, em 1989. Até então, o maior valor havia sido registrado em julho do ano passado, com US$ 7,601 bilhões – ou seja, houve um aumento de 35,5%.

Em abril, as exportações somaram US$ 26,481 bilhões e as importações, US$ 16,132 bilhões. No ano, as exportações totalizam US$ 82,13 bilhões e as importações, US$ 63,873 bilhões, com saldo positivo de US$ 18,257 bilhões e corrente de comércio de US$ 146,003 bilhões.

Na comparação do resultado de abril de 2020 e 2021, houve crescimento de 50,5% na média diária das exportações. No ano passado, segundo o Ministério da Economia, o país contabilizou US$ 879,69 milhões nessa média. Agora, o resultado foi maior: US$ 1.324,04 bilhão.

Em relação às importações, houve crescimento de 41,1%, totalizando US$ 806,58 milhões. No mesmo período do ano passado, o valor chegou a US$ 571,55 milhões.

Recorde

O resultado positivo foi puxado pela forte demanda mundial por alimentos e minério de ferro. No Brasil, o aumento do dólar tornou as vendas externas brasileiras mais rentáveis.

Segundo o Ministério da Economia, esse é o maior superávit comercial para um único mês, desde o início da série histórica, iniciada em janeiro de 1989.

Até então, o maior superávit mensal havia sido registrado em julho do ano passado, quando as exportações superaram as compras do exterior em US$ 7,601 bilhões.

No mês passado, as exportações somaram US$ 26,481 bilhões, enquanto as importações foram de US$ 16,132 bilhões.

De janeiro a abril, as exportações somaram US$ 82,130 bilhões – uma alta de 26,6% em relação ao mesmo período do ano passado. As importações computaram o montante de US$ 63,873 bilhões, o que equivale a um crescimento de 14%.

Destaque para soja

Ao comentar os dados, o subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, Herlon Brandão, afirmou que as vendas de soja tiveram destaque no resultado de abril.

“A demanda mundial aquecida, com preços em alta, e um embarque de soja mais concentrado são os principais fatores que favoreceram o resultado [das exportações] de abril”, detalhou.

Segundo ele, até março, o principal fator que explicava o aumento das exportações era o preço. “Destaco a agropecuária, sobretudo a soja. Chegamos a um volume de exportação de soja neste mês de 17,4 milhões de toneladas, um recorde absoluto para embarque de soja”, explicou.

Últimas notícias