Após nove cortes consecutivos, Banco Central mantém Selic em 2% ao ano

A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) foi unânime e veio dentro do esperado pelos analistas de mercado

atualizado 16/09/2020 18:40

MICHAEL MELO/METRÓPOLES

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central manteve, nesta quarta-feira (16/9), a taxa básica de juros (Selic) em 2% ao ano, no patamar mínimo histórico. A taxa é referência para a remuneração de títulos públicos e a captação de recursos dos bancos.

Depois de um ciclo de nove cortes consecutivos da Selic, o Copom decidiu manter a taxa básica. A decisão foi unânime e veio dentro do esperado pelos analistas de mercado.

A Selic é a taxa básica da economia e serve de referência para outras taxas de juros (financiamentos) e para remunerar investimentos corrigidos por ela. A taxa não representa exatamente os juros cobrados dos consumidores, que são muito mais altos.

O Copom se reúne a cada 45 dias para definir a Selic, buscando o cumprimento da meta de inflação, que é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), órgão formado pelo Banco Central e Ministério da Economia.

Últimas notícias