Doses da Sputnik V compradas pelo Nordeste vão atender a todo o Brasil

Ministério da Saúde prevê entregas a partir de abril. Imunizante ainda não foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária

atualizado 13/03/2021 18:39

Vacina Sputnik VHugo Barreto/Metrópoles

O consórcio de governadores do Nordeste e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, definiram que as 37 milhões de doses da vacina russa Sputnik V, compradas pelo grupo, entrarão no Plano Nacional de Imunização do governo federal.

Na prática, a decisão permite que as vacinas, assim que disponíveis, sejam distribuídas pelo governo federal a todo o Brasil e não apenas aos estados do Nordeste.

“Tratamos com o Ministério da Saúde e a Advocacia Geral da União (AGU) os termos para que a gente mantenha um regramento em que se tenha vacina para todo o Brasil. E assim foi acertado”, afirmou o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que também preside o consórcio.

O imunizante ainda não teve aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ao contrário das vacinas AstraZeneca/Oxford e Coronavac, que possuem o registro definitivo e emergencial, respectivamente.

Segundo Dias, o cronograma prevê que as 37 milhões de doses estarão disponíveis para a população brasileira entre abril e julho, em quantidades escalonadas.

O primeiro lote, com 1,9 milhão de doses, chegaria em abril. Na sequência, 5 milhões de doses seriam disponibilizadas em maio. Os dois últimos lotes, de 10 e 20 milhões, chegariam em junho e julho, respectivamente.

“Até segunda-feira [15/3] o ministério [da Saúde] entra como interveniente e garante que as 37 milhões de doses, a partir de abril, serão para todo o Brasil”, declarou o governador.

Mais 10 milhões de doses

Na sexta-feira (12/3), o Ministério da Saúde assinou um contrato para a compra de 10 milhões de doses da Sputnik V.

Essas doses não estão incluídas na compra feita pelo consórcio do Nordeste e foram anunciadas um dia após os governadores da região fecharem o acordo das 37 milhões de doses.

Pelo cronograma do governo, a previsão é que 400 mil doses cheguem ao país até o final de abril; outras 2 milhões no fim de maio; e mais 7,6 milhões em junho.

“Para que possamos efetivamente aplicar a Sputnik, só necessitamos que a União Química providencie com a Anvisa, o quanto antes, a autorização para uso emergencial e temporário”, ressaltou o secretário do Ministério da Saúde, Elcio Franco.

Últimas notícias