Delegado sobre idosa vítima de golpe: “Assustada e com medo da filha”

Geneviève Boghici, de 82 anos, foi vítima de golpe de R$ 725 milhões da própria filha. Ela foi mantida em cárcere privado por um ano

atualizado 10/08/2022 17:11

Sabine BoghiciRedes sociais/Reprodução

Rio de Janeiro – A idosa que sofreu um golpe milionário da própria filha está “assustada” e “com medo”, afirma o delegado Gilberto Ribeiro, da Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa da Terceira Idade.

Segundo o titular da especializada, a francesa Geneviève Boghici, de 82 anos, teme pela volta da filha, Sabine Boghici (na foto em destaque), que foi presa em operação nesta quarta-feira (10/8).

“A última notícia que eu tive foi essa semana, através de terceiros. Disseram que ela está muito assustada, com medo da filha conseguir voltar a entrar no apartamento e, voltando a filha, que esse grupo volte a subjugá-la dentro de casa”, disse ao Metrópoles.

Ainda de acordo com o delegado, a idosa tem passado boa parte do tempo fora de casa, na companhia de amigos, forma essa que encontrou para se sentir mais segura.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
0

 

Cárcere privado e ameaças

Viúva do marchand romeno Jean Boghici e mãe de duas mulheres, Geneviève sofreu um golpe avaliado em R$ 725 milhões e foi mantida em cárcere privado por uma de suas filhas durante um ano. Sabine Boghici articulou um plano para tirar dinheiro da mãe usando falsas videntes.

Em janeiro de 2020, a idosa foi abordada ao sair de uma agência bancária em Copacabana, na zona sul do Rio. Diana Rosa Aparecida Stanesco Vuletic, uma suposta vidente, disse que uma de suas filhas estava doente e que morreria em pouco tempo.

Ela convenceu Geneviève a levá-la ao seu apartamento para jogar búzios. Preocupada com a filha, a idosa concordou, por Sabine apresentar sérios problemas psicológicos desde a adolescência. O evento foi confirmado após o jogo e Diana disse que seria necessário levá-la para uma outra vidente, para que realizasse um trabalho espiritual.

Essa outra pessoa era Jaqueline Stanescos, também integrante da quadrilha. No entanto, ela levantou uma desconfiança em Geneviève ao perguntar sobre dinheiro e objetos de valor. Por esse motivo, a idosa foi levada para uma terceira vidente, Rosa Stanesco Nicolau, conhecida como Mãe Valéria de Oxossi, que, por fim, conseguiu convencer a idosa a pagar pelo serviço.

Após duas semanas realizando transferências bancárias milionárias, Geneviève foi presa dentro de casa. Com o pretexto da pandemia da Covid-19, Sabine dispensou os funcionários que trabalhavam para a mãe, passou a controlar os telefones e a impediu de sair de casa.

Entre janeiro de 2020 e abril de 2021, a idosa foi ameaçada de morte, por vezes com uma faca em seu pescoço, e mal alimentada pela filha. De acordo com o delegado, Geneviève conseguiu fugir em 7 de abril de 2021, após ser deixada sozinha em casa. A idosa usou uma chave reserva que tinha para fugir.

A demora para denunciar o caso, no entanto, se deu por não querer denunciar a própria filha. No entanto, em janeiro deste ano, Geneviève decidiu contratar um advogado e denunciar o caso.

Golpe milionário

Ao longo do período em que foi mantida presa, Geneviève teve cerca de R$ 725 milhões em obras de arte, joias e dinheiro roubados pela quadrilha.

De acordo com a investigação, a idosa teve joias e três relógios da marca Rolex levados, o que, segundo ela, seria um prejuízo estimado em R$ 6 milhões. Além disso, o grupo movimentou cerca de R$ 5 milhões em transferências bancárias e roubou 16 obras de artistas renomados, como Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti. Destas, 11 foram recuperadas.

Confira as obras levadas, segundo as investigações:

1) O Sono, de Tarsila do Amaral: R$ 300 milhões;
2) Sol Poente, de Tarsila do Amaral: R$ 250 milhões;
3) Pont Neuf, de Tarsila do Amaral: R$ 150 milhões;
4) Ela, aquarela, de Cícero Dias: R$ 1 milhão;
5) Aquarela sem título, de Cícero Dias: R$ 1 milhão;
6) Desenho representando uma paisagem, 1935, de Alberto Guignard: R$ 150 mil;
7) Rue des Rosiers, de Emeric Marcier: R$ 150 mil;
8) Église Saint Paul, de Emeric Marcier: R$ 150 mil;
9) Porto de Pesca rem Hong-Kong, de Kao Chien-Fu: R$ 1 milhão;
10) Coruja ao Luar, de Kao Chi-Feng: R$ 1 milhão;
11) Retrato, de Michel Macreau: R$ 150 mil;
12) Mulher na Igreja, de llya Glazunov: R$ 500 mil;
13) Mascaradas, de Di Cavalcanti: R$ 1,5 milhão;
14) O Menino, de Alberto Guignard: R$ 2 milhões;
15) Maquete Para Meu Espelho, de Antônio Dias: R$ 1,5 milhão;
16) Elevador Social, de Rubens Gerchman: R$ 1,5 milhão.

Mais lidas
Últimas notícias