Delegado dá voz de prisão a funcionários após ter energia cortada

Segundo delegado, equipe cortou energia mesmo após comprovante de pagamento ser apresentado. Funcionários dizem que foram ameaçados

atualizado 27/10/2021 19:19

Delegado Josemar PortesReprodução/Polícia Civil

O delegado-geral da Polícia Civil do Acre, Josemar Portes, deu voz de prisão a dois funcionários da Energisa, companhia de distribuição de energia elétrica do estado. O caso ocorreu na terça-feira (27/10), após equipe realizar um corte de energia na casa do policial.

Segundo o delegado, os funcionários cortaram a luz mesmo após apresentação do comprovante de pagamento. Ainda afirmou que deu voz de prisão pelo dano causado, como cidadão e não como delegado.

Já os funcionários dizem que acionaram a polícia depois de serem ameaçados com arma de fogo.

“A equipe foi na minha casa, solicitou o comprovante de pagamento e, enquanto a minha esposa estava procurando o comprovante dentro da casa, fizeram o corte. Tão logo foi comprovado o pagamento, pedi que religassem a energia, mas eles se negaram”, contou em entrevista ao portal g1.

“Cortar luz de qualquer residência indevidamente é crime de dano”, declarou.

A energia foi religada depois que o delegado deu voz de prisão. Ele afirma que vai entrar na Justiça contra a Energisa, por danos morais.

Em nota, a empresa destacou que não houve erro na abordagem da equipe e que a ameaça com arma de fogo ocorreu. Acrescenta que ação foi filmada e as imagens foram entregues às autoridades.

Mais lidas
Últimas notícias