“Décadas de descaso”, diz Witzel sobre mortes após temporal no Rio

Em entrevista coletiva, o governador apontou que o crescimento desordenado e a falta de fiscalização agravaram a tragédia

Reprodução / TwitterReprodução / Twitter

atualizado 07/02/2019 14:40

O governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), deu uma entrevista coletiva no começo da tarde desta quinta-feira (7/2) sobre o temporal que atingiu a capital e causou seis mortes e inúmeros danos.

Durante a entrevista, Witzel declarou várias vezes que a situação foi agravada graças a “décadas de descaso” e ao “crescimento desordenado” da cidade, com construções irregulares e em áreas de risco. “Se fechou os olhos para a ocupação desordenada, o resultado é essa tragédia que a gente assiste agora”, declarou.

O governador disse que entrou em contato com os prefeitos de todos os municípios para oferecer ajuda. “Mantive contato com o prefeito Crivella e mostrei a disposição do estado do Rio para ajudar. O mesmo com o prefeito de Mangaratiba. Estamos à disposição de todos.”

Segundo Witzel, 80 mil famílias ocupam imóveis em áreas de risco em todo o estado. Para resolver essa situação, o governador declarou que a primeira reunião da câmara metropolitana será dedicada a encontrar uma solução. “[A câmara] Pode fazer esse trabalho em fevereiro e encontrar soluções de moradias de baixo custo”, disse o governador.

Em caso de necessidade, o governador declarou, ainda, que existe um plano de contingência, com abrigos que podem ser usados pela população, bem como alimentos, água e medicamentos que foram doados para as vítimas da tragédia de Brumadinho.

Últimas notícias