Covid: Caiado pede à ONU que Brasil produza princípio ativo da vacina

Atualmente, apenas quatro países fazem o chamado IFA. Solicitação é de que produção seja ampliada por meio de pagamento de royalties

atualizado 18/04/2021 14:21

goias em reuniao da onu caiado pede que brasil produza ifaDivulgação/Governo de Goiás

Goiânia – O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), solicitou à Organização das Nações Unidas (ONU) ajuda para que o Brasil e demais países sejam autorizados a produzir, mediante o pagamento de royalties, o IFA (ingrediente farmacêutico ativo) das vacinas contra Covid-19.

O pedido foi feito durante reunião virtual, na última sexta-feira (16/4), com governadores e a secretária-geral adjunta da ONU, Amina Mohammed.

Atualmente, o IFA só é fabricado por quatro países, o que Caiado chamou de inadmissível. “Isso atrasa demais o processo de vacinação. Por isso, a ONU precisa intermediar esse processo e garantir que possamos produzir o IFA, mediante o pagamento de royalties”, disse o governador, durante reunião do Fórum de Governadores com a ONU.

No início de abril, o Instituto Butantan paralisou a produção das vacinas em decorrência de atraso na entrega da matéria-prima, que viria da China. Eram 6 mil litros de IFA, que dariam origem a 10 milhões de vacinas.

Milhões de doses

Durante o encontro virtual, a ONU anunciou que vai antecipar ao Brasil o repasse de 4 milhões de doses de vacinas contra Covid-19. Elas devem chegar ainda em abril. Outras quatro milhões de unidades podem vir em maio. Os imunizantes fazem parte do consórcio Covax Facility. “Reafirmamos a necessidade de uma atuação conjunta no combate ao coronavírus”, afirmou Caiado, que comemorou o anúncio das vacinas.

Amina Mohammed acenou positivamente à sugestão de Caiado. E declarou ser necessária a ação conjunta. De acordo com Marlova Noleto, coordenadora da ONU no Brasil, o país será auxiliado em relação a medicamentos, vacinas e ajuda humanitária. “Vamos intensificar isso”, garantiu.

Últimas notícias