Covid-19: veterinária frauda fila e toma terceira dose de vacina

Em uma postagem no Facebook, ela disse aos amigos que não estava se sentindo protegida com a Coronavac

atualizado 01/07/2021 19:30

JussaraReprodução

A veterinária Jussara Sonner, moradora de Arujá, na grande São Paulo, virou assunto na internet após post nas redes sociais afirmando ter furado a fila para receber uma “terceira vacina contra a Covid-19”.

Pelo Facebook, Jussara disse que não estava se sentindo protegida com as duas doses da Coronavac. Por isso, segundo ela, foi atrás do imunizante da Janssen.

Na publicação, já apagada, a veterinária ainda zombou do sistema de saúde, dizendo que não havia computador na Unidade Básica de Saúde onde recebeu a nova dose. “Fui em um bairro meio que de favela em Guarulhos, onde não havia computadores para verificação online. Uma sorte! Anotaram meus dados numa folha timbrada. Quando cair no sistema será tarde demais”, disse, ao postar fotos dos comprovantes.

0

 

“Nem o comprovante de endereço olharam”, continuou. “Sei que nenhuma vacina é totalmente segura, pois não houve tempo para a realização dos testes. Mas como no início do ano tomei a ‘vachina’ [sic] estava bastante incomodada com isso. Esperei o tempo necessário, três meses, e hoje consegui tomar a da Janssen. Agora me sinto mais protegida, é dose única e estou liberada para viajar para onde eu quiser. Agora sim que viro jacaré”, escreveu.

O Ministério Público de São Paulo recebeu a denúncia do caso por meio do portal “Fura-fila da vacina”. Ao Uol, a prefeitura de Guarulhos disse que o prefeito Guti (PSD) tomou conhecimento das postagens e determinou que o caso fosse enviado ao Ministério Público Estadual.

“A prefeitura não mede esforços para promover uma vacinação célere e eficiente, criando critérios objetivos para a contemplação de sua população. Mas não se pode fechar os olhos para abusos e fraudes que visem burlar esse sistema, ainda mais baseadas em motivações desprovidas de amparo científico que possam prejudicar grupos prioritários para a vacinação, como neste caso”, afirmou, em nota.

A Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos também disse que abriu um procedimento interno para apurar que tipo de falha pode ter ocorrido.

Fura Fila

No caso de furar a fila, a lei estadual nº 17.320, em vigor desde 12 de fevereiro deste ano, prevê multa de R$ 1.700 para quem furar a fila da vacina, ou seja, “descumprir a ordem cronológica de vacinação de grupos prioritários definidos no plano de imunização contra a Covid-19”.

Mais lidas
Últimas notícias