metropoles.com

Covid-19: Queiroga nega desabastecimento de vacinas para crianças

Apesar de diversos estados relatarem problemas nos estoques do imunizante para o público infantil, ministro disse que não há falta de doses

atualizado

Compartilhar notícia

Rafaela Felicciano/Metrópoles
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga participa do lançamento da campanha de amamentação e monkeypox saude brasil 1
1 de 1 Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga participa do lançamento da campanha de amamentação e monkeypox saude brasil 1 - Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, negou a falta de vacinas contra a Covid-19 para crianças de 3 e 4 anos de idade. A declaração ocorreu nesta segunda-feira (15/8), em entrevista à GloboNews.

Apesar de diversos estados relatarem problemas nos estoques do imunizante para o público infantil, o ministro disse que não há falta de doses. Atualmente, a Coronavac é a única vacina contra a Covid com uso autorizado para crianças de 3 e 4 anos de idade. O público é formado por 5,6 milhões de pessoas.

Para evitar crises de desabastecimento, Queiroga recomendou que estados e municípios façam remanejamento de imunizantes. “Há vacinas. Tem estados em que a vacina está faltando. Estamos fazendo a realocação dessas vacinas”, assinalou.

Questionado sobre a compra de doses para distribuição aos estados, Queiroga afirmou que a pasta está em tratativas com a Organização Pan-Americana para viabilizar a compra de vacinas junto ao consórcio internacional Covax Facility.

O ministro pontuou que o Instituto Butantan deve entregar as doses do imunizante apenas em setembro. Por isso, a pasta busca outras soluções para abastecer os estados.

Em 19 de julho, o então secretário-executivo do Ministério da Saúde, Daniel Pereira, destacou que a pasta pretendia entregar vacinas para o público infantil no prazo de 30 dias. A data-limite é a próxima sexta-feira (19/8) e, até o momento, a entrega de imunizantes não foi normalizada.

0

 

Fabricação de vacinas

Após algumas unidades federativas, como o Rio de Janeiro e o Distrito Federal, interromperem a vacinação de crianças de 3 a 4 anos com o imunizante Coronavac devido à falta de estoque, o Instituto Butantan voltou a importar o ingrediente para produção.

“O Instituto Butantan já importa quantidade de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) para produzir as doses para atender ao esquema vacinal primário completo de toda a população brasileira desta faixa etária”, afirmou a entidade em nota.

De acordo com o instituto, a intenção é disponibilizar a vacina o mais rápido possível. A distribuição aos estados e municípios está prevista para setembro.

“O Butantan dialoga constantemente com o Ministério da Saúde e aguarda posicionamento oficial da pasta sobre as ofertas de venda da vacina Coronavac ao Programa Nacional Nacional de Imunizações (PNI)”, complementa.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações