Com Bolsonaro no PL, Thammy diz que só escolherá novo partido em 2022

Vereador de São Paulo saiu do Partido Liberal no mesmo dia da filiação do presidente Jair Bolsonaro: "Não estou preocupado com isso agora"

atualizado 07/12/2021 14:27

São Paulo – A saída do vereador de São Paulo Thammy Miranda do Partido Liberal (PL) após a filiação do presidente Jair Bolsonaro surpreendeu o meio político na semana passada. No mesmo dia em que o chefe do Executivo entrou na legenda (30/11), o primeiro homem trans eleito na Câmara Municipal da SP afirmou que, além de ter “ideias diferentes” das do presidente, já sofreu ataques dos filhos dele, o que motivou a saída.

Em entrevista ao Metrópoles, o vereador ressaltou que mudanças devem se desenhar no PL porque é a primeira vez que tem o presidente do país como filiado.

“Agora o partido abriga um Presidente da República, é a primeira vez que isso acontece. Então, deve mudar bastante coisa no PL, mas não em relação a mim caso ficasse. O pessoal do partido sempre me respeitou e me deu espaço de fazer as coisas que eu acredito e para ser quem eu sou lá dentro, mas não poderia continuar diante da atual conjuntura”, pontuou Thammy.

0

Como as tratativas não começaram “de uma hora para a outra”, Thammy reitera que teve tempo para pensar se permaneceria ou não na legenda, presidida pelo ex-deputado Valdemar da Costa Neto. Diferentemente do deputado federal pelo Amazonas Marcelo Ramos, que já recebeu convites de ao menos sete partidos, a escolha de um novo partido só deve entrar no radar de Thammy a partir de 2022.

“Não estou preocupado com isso agora. A agenda está cheia, fim de ano na Câmara é bastante corrido. E o meu foco é trabalho, que vou dar continuidade independentemente de partido”, afirma.

Aprovação de projetos

O vereador concentra os esforços para a aprovação, ainda em 2021, do Projeto de Lei 82/2021, sobre inclusão de medidas de capacitação socioemocional em escolas da rede pública de São Paulo. A proposta é assinada por outros seis vereadores da Câmara.

“O desenvolvimento pleno para a cidadania e para o mundo do trabalho não é só cognitivo, mas também socioemocional. Daí a importância de nossos jovens serem estimulados a desenvolver essas habilidades”, argumentou o parlamentar na justificativa do projeto.

Thammy garantiu que, acima do fato de mudar de legenda, está a manutenção de seus ideais e objetivos em defesa dos direitos da comunidade LGBTQIAP+, por exemplo, além de outros grupos que o apoiaram na campanha em 2020.

“Eu fui eleito com uma missão: representar as pessoas que votaram em mim, e aí estão donas de casa, LGTBQIAP+, mulheres vítimas de violência e todo mundo que acreditou e confiou em mim. Independentemente do partido e de quem esteja ou esteve, eu sigo fazendo o meu papel e seguiria apesar de qualquer coisa”, reforçou o vereador.

Com 2022 cada vez mais próximo e a possibilidade de reeleição de Jair Bolsonaro, Thammy disparou: “Eu acredito que estamos numa democracia e que o respeito deve estar presente nas próximas eleições. Se as pessoas o escolherem novamente [Bolsonaro], ninguém pode fazer nada”.

Estranhamento com Carlos Bolsonaro

Em janeiro do ano passado, Thammy Miranda se surpreendeu com postagens de fotos dele no perfil de Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), segundo filho do presidente, no Twitter. O parlamentar publicou imagens da família de Thammy, uma delas após o parto de Bento. Na ocasião, o vereador de São Paulo cobrou explicações de Carlos.

“Então deixo uma pergunta para você Carlos Bolsonaro: você fez uma homenagem à minha família? Você não postou legenda nenhuma, não teve uma ideia, não quis ser tão carinhoso assim porque você não me conhece, mas quis prestar uma homenagem ao meu filho que nasceu… Se for isso, queria te agradecer. Como não te conheço e não colocou legenda, eu queria saber qual foi a sua intenção com esse post? Você postou como uma forma de preconceito ou como forma de homenagem? Porque se for uma forma de preconceito, ‘ah, queria te zoar mesmo, porque o Twitter é meu’… Aí eu queria te processar”, disse Thammy em um vídeo publicado nas redes sociais.


Dias depois, um seguidor perguntou se o posicionamento havia sido feito, e Thammy negou: “Ele correu, não me deu uma resposta. Estou esperando ainda uma resposta dele, na verdade, um posicionamento dele. De homem, né?! Não ficar postando fotinha”.

Até Gretchen resolveu se posicionar em meio às “ofensivas” do filho 02 de Bolsonaro. “É incrível, Carlos Bolsonaro, como você é apaixonado pelo meu filho. Tá doido pra entrar na nossa família. Mas meus filhos homens estão todos casados. Só lamento”, disparou a cantora à época.

Mais lidas
Últimas notícias