Cantora de funk acusa motorista de aplicativo de homofobia

A vítima relatou que estava saindo do trabalho e a namorada foi buscá-la. Uber informou que o profissional foi banido da plataforma

atualizado 03/03/2020 13:17

A cantora de funk Amanda Versus foi vítima de homofobia, na última segunda-feira (02/03/2020), dentro de um carro de aplicativo em Belo Horizonte (MG). As informações são do site O Tempo.

A vítima relatou que estava saindo do trabalho e a namorada foi buscá-la. “A gente se encontrou dentro do carro e eu dei um selinho nela. Fomos conversando e no caminho ela me chamou de amor e disse que tava com dor no pescoço, comecei a fazer uma massagem nela e o motorista começou os ataques”, explicou.

Segundo Amanda, o homem falou que não aceitava esse tipo de comportamento dentro do carro e disse que era para cada uma ir para um lado. “Falou para nos comportarmos e começou uma série de represálias. Nessa hora eu falei para ele parar o carro que a gente ia descer”, relatou.

Em nota, a empresa Uber informou que não tolera qualquer forma de discriminação em viagens realizadas na plataforma. “O motorista foi banido e estamos à disposição para colaborar com as autoridades, nos termos da lei. A Uber defende o respeito à diversidade e reafirma seu compromisso de promover respeito, igualdade e justiça para todas as pessoas LGBTQIA+”.

Últimas notícias