Brumadinho: mortos são 166 no 20º dia de buscas. Há 155 desaparecidos

Socorristas contam com ajuda de retroescavadeiras para vasculhar a lama e localizar cadáveres

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 13/02/2019 19:52

O número de mortos com o rompimento da barragem da mineradora Vale na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) chegou a 166. Nesta quarta-feira (13/2), completaram-se 20 dias de buscas desde a tragédia. Há 155 desaparecidos, segundo informou a Defesa Civil.

Segundo o tenente coronel da Defesa Civil, Flávio Godinho, os trabalhos de busca pelos bombeiros continuam sem interrupção.

Na última terça-feira (12/2), cinco pessoas que constavam na lista de desaparecidos foram localizadas. Elas estavam abrigadas na casa de parentes ou amigos e comunicaram ao Corpo de Bombeiros de Minas Gerais de que estavam vivas.

Equipamentos para o IML
A Vale, por sua vez, anunciou a compra de equipamentos para o Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte (MG), que trabalha na identificação das vítimas: Brumadinho fica na região metropolitana da capital mineira. De acordo com a empresa, já foi instalado no IML um flat scan, que custou R$ 1,3 milhão e permite escanear raios X para laudos periciais.

Já a Polícia Federal abriu investigação sobre o possível acúmulo de água e falhas de drenagem e de segurança na mina. Nesta quinta, deixaram a cadeia os funcionários da Vale e engenheiros de empresa terceirizada que atestaram a estabilidade da estrutura: a liberdade foi determinada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) nessa quarta (6).

Últimas notícias