metropoles.com

Brasil suspende exportação de carne para China após caso de “vaca louca”

Suspensão de exportação para a China começa nesta quinta-feira (23/2). Caso foi registrado em Marabá, município do Pará

atualizado

Compartilhar notícia

DejaVu Designs/Freepik
Imagem mostra boi marrom
1 de 1 Imagem mostra boi marrom - Foto: DejaVu Designs/Freepik

O Ministério da Agricultura suspendeu a exportação de carne bovina para a China. A medida, que vale a partir desta quinta-feira (23/2), foi anunciada após a confirmação de um caso de Encefalopatia Espongiforme Bovina, conhecido como mal da “vaca louca”, em Marabá, no Pará. A pasta acompanhava a situação desde a última segunda-feira (20/2).

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), comandado por Carlos Fávaro (PSD-MT), diz ter adotado todas as providências governamentais para o mercado de carnes brasileiras.

A pasta afirma ter feito comunicado à Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA) e enviado as amostras para o laboratório referência da instituição em Alberta, no Canadá. Agora, as autoridades aguardam resultado para confirmar se o caso é atípico.

A doença afetou um animal macho de 9 anos, que ficava em uma pequena propriedade. Ele era criado em um pasto, sem ração. Após a detecção do mal da “vaca louca”, foi abatido, e sua carcaça incinerada no local. O serviço veterinário oficial brasileiro faz investigação epidemiológica – que poderá ser continuada ou encerrada de acordo com o resultado.

“Todas as providências estão sendo adotadas imediatamente em cada etapa da investigação, e o assunto está sendo tratado com total transparência, para garantir aos consumidores brasileiros e mundiais a qualidade reconhecida da nossa carne”, ressaltou o ministro Carlos Fávaro.

Sendo assim, o protocolo sanitário oficial firmado entre Brasil e China determina que as exportações sejam temporariamente suspensas a partir desta quinta-feira. “No entanto, o diálogo com as autoridades está sendo intensificado para demonstrar todas as informações e o pronto restabelecimento do comércio da carne brasileira”, afirma o Mapa.

Mal da “vaca louca”

Trata-se de uma doença degenerativa que ataca o sistema nervoso de animais bovinos. Acontece por meio de uma partícula proteica infecciosa chamada príon, geralmente transmitida mediante a ingestão de alimentos provenientes de carcaças infectadas, a exemplo de farinhas de carne ou ossos. Atipicamente, o mal da “vaca louca” é resultado de mutação espontânea de uma proteína normal.

Humanos também podem ser infectados caso consumam carne ou derivados de um animal contaminado pela doença da “vaca louca”. Dessa forma, é possível o desenvolvimento de encefalopatia espongiforme transmissível, uma espécie de variante da doença de Creutzfeldt-Jakob (DCJ).

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?