Após 2° ataque, Brasil quer reforçar segurança da embaixada em Berlim

A embaixada chamou de "vandalismo" e Otávio Rêgo, porta-voz da Presidência, afirmou que o caso está sendo investigado pela polícia alemã

atualizado 01/02/2019 19:34

Ageu de Souza/Exército Brasileiro

Pela segunda vez em menos de um mês neste ano, a Embaixada do Brasil em Berlim foi alvo de ataques. Na madrugada desta sexta-feira (1º/2) um grupo pichou a fachada do prédio nas cores vermelho e preto. Vidraças laterais do edifício foram destruídas com barras de ferro, segundo informações oficiais.

A embaixada, em nota oficial, chamou o fato de “ato de vandalismo”. “As autoridades policiais foram imediatamente contatadas e estão investigando o ocorrido”, afirmou.

O porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, disse hoje que o governo brasileiro foi informado que o vigia da embaixada também foi atacado. De acordo com ele, o vigia, segundo consta, estava desarmado. A polícia alemã está investigando o caso.

Rêgo Barros afirmou que a segurança da embaixada poderá ser reforçada. “A polícia alemã está investigando o caso e opções para o reforço de segurança no local estão sendo definidos”.

Últimas notícias