Bombeiros estimam entre 30 e 50 desaparecidos após deslizamentos no PR

Clima está desfavorável porque chuvas continuam e há risco de mais deslizamentos. Seis carretas e 10 carros foram soterrados em Guaratuba

atualizado 30/11/2022 12:27

Cenário em rodovia após deslizamento de terra na cidade de Guaratuba, Paraná. O acidente de grandes proporções deixou um imenso rastro de lama em encosta com caminhões e carros derrapados em meio à chuva - Metrópoles Secretaria de Segurança Pública do Paraná

O Corpo de Bombeiros trabalha com a estimativa de que 30 a 50 pessoas foram soterradas no grave deslizamento de terra que ocorreu na rodovia BR-376 em Guaratuba, no Paraná, na noite da última segunda-feira (28/11).

A avaliação foi divulgada pelo comandante dos Bombeiros, coronel Manoel Vasco, em coletiva no Centro de Operações da Secretaria de Segurança Pública, em Curitiba (PR), nesta quarta-feira (30/11).

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
0

“Estamos trabalhando com a hipótese de ter entre 30 e 50 pessoas. Essa é a maior dificuldade, saber quantas pessoas estavam no interior dos veículos”, afirmou o oficial.

Por causa das fortes chuvas que continuam atingindo a região, tanto o resgate das vítimas quanto a limpeza e remoção dos veículos estão sendo dificultadas. Dois corpos foram localizados até o momento. A retirada do segundo corpo, que estava dentro de uma carreta, ocorreu nesta quarta.

16 veículos

Até o número de veículos soterrados é incerto. De acordo com o cálculo mais recente dos Bombeiros, são seis carretas e 10 carros de passeio. A maior dificuldade é acessar os veículos que foram arrastados para fora da pista, por uma ribanceira.

Os veículos estavam parados em uma fila, quando houve o deslizamento gigantesco que atingiu as quatro pistas da rodovia, sendo duas indo e duas voltando.

Vasco explicou que o primeiro corpo encontrado estava fora dos veículos. Então existe a possibilidade que as pessoas saíram dos carros e das carretas no momento do deslizamento.

Drone nas buscas

Na quarta-feira, as equipes envolvidas no resgate utilizaram um drone com câmera térmica para tentar localizar vítimas, mas nada foi encontrado até agora. O problema é que esse equipamento só pode ser utilizado nos poucos momentos em que a chuva dá trégua.

Há risco de novos deslizamentos sobre a pista. Por isso, não existe previsão de liberação de uma via para o trânsito. Também não há como prever quando ocorrerá a remoção de veículos grandes que estão soterrados na ribanceira, pois, para essa ação, seria necessário o uso de guinchos pesados, o que é perigoso.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) do Paraná, além do deslizamento mais grave de Guaratuba, há outros 10 pontos no estado.

Logística

O deslizamento de Guaratuba interrompe um importante acesso para o litoral do Paraná. Devido a isso, as autoridades estão articulando operações para que não ocorra desabastecimento de comida, remédios e gasolina.

As Centrais de Abastecimento (Ceasa), por exemplo, estão sendo escoltadas por equipes da PRF para não faltar comida. “Nós não corremos o risco de ter desabastecimento, pode atrasar um pouquinho”, disse o coronel Fernando, dos Bombeiros.

Chuva castiga outros estados

Além do Paraná, fortes chuvas causaram estragos em Sergipe e no Espírito Santo, onde crateras foram abertas e ao menos uma pessoa morreu.

Na Bahia, a chuva deixou municípios debaixo d’água e muitos carros ilhados.

Mais lidas
Últimas notícias